Notícias

Coleta seletiva de lixo motiva Z-10

Ação conjunta de pescadores e ONG recolhe resíduos nas ruas


Por Nycolas Santana

16/10/2020 - Edição 2011

Mutirão realizado na Colônia Z-10 reuniu cerca de 200 kg de lixo da comunidade
Mutirão realizado na Colônia Z-10 reuniu cerca de 200 kg de lixo da comunidade

Pescadores da Colônia Z-10 está recolhendo lixo de casa em casa em uma ação conjunta com a ONG alemã One Earth – One Ocean (OEOO). A ação consiste na coleta de resíduos secos para serem separados do lixo orgânico e posteriormente reciclados.

A coleta em domicílio é a segunda etapa da parceria entre os pescadores e a organização, que há dois meses já vinham realizando mutirões de limpeza nas águas da Baía de Guanabara. A ação é feita nas ruas da Colônia três vezes por semana e chega a recolher cerca de 200 kg de lixo por dia de coleta.

— Nossa ideia é agir em duas frentes. Por água, com os pescadores na Baía de Guanabara, e por terra, com a participação dos mais jovens recolhendo resíduos de porta em porta. Dessa maneira a gente consegue não só retirar materiais que já estão acumulados há anos, mas também operar diretamente onde o lixo é produzido, que são os lares. Assim, evitamos que os resíduos sejam despejados de maneira inadequada e damos o destino correto para eles — explica o pescador Thiago Caiçara.

Material foi recolhido de porta em porta e pelas ruas

A coordenadora do projeto da ONG, Laura Kita Kejuo, conta que além dos mutirões e das coletas, a organização atua na educação ambiental visando conscientizar os moradores da Colônia Z-10 sobre a importância da separação do lixo dentro das próprias residências.

— O objetivo da OEOO é levar informação ambiental para que a população crie consciência ambiental, conheça o nosso projeto e se junte a nós. Com isso, as ações ganham mais força — explica Laura.

Ainda que o projeto esteja em fase piloto, Thiago considera que a parceria entre ONG e pescadores é um sucesso e tem tudo para ser duradoura. “A organização oferece uma infraestrutra, equipamentos, apoio e um dinamismo que são essenciais para tocar o projeto. Isso ajudou muito a potencializar nossas forças e a tendência é evoluir cada vez mais na preservação ambiental da Colônia Z-10”, diz Thiago.