Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião

11/01/2019 - opiniao /Edição 1919
A importância de uma maternidade pública na Ilha do Governador é o de um serviço de saúde essencial para os mais tradicionais moradores da região. Alguns deles nasceram no Hospital Paulino Werneck e naturalmente sentem orgulho de serem verdadeiros insulanos da gema, como se costuma dizer. 
 
O desconforto gerado para mães e familiares foi observado sabiamente pelo prefeito Marcelo Crivella, durante a campanha eleitoral, quando anotou a necessidade de uma maternidade na região. O acompanhamento médico público às gestantes, que hoje é eficaz nos postos de saúde, deixa preocupação na hora do parto, cujos procedimentos precisam ser realizados fora da Ilha e sujeitos a toda espécie de transtornos no trânsito instável da Estrada do Galeão. 
 
O processo para instalação da maternidade nunca foi descartado pelo prefeito, e algumas avaliações já foram estudadas pelos órgãos de saúde que cogitaram o Hospital do Loreto ou o retorno ao Paulino Werneck, lugar de onde nunca deveria ter saído e cuja localização facilita o acesso a todos os bairros da Ilha. 
 
A vereadora Tânia Bastos, junto com o administrador regional Márcio Pimenta e o superintendente Daniel Balbi, que são moradores da Ilha e vivem a preocupação de muitas famílias insulanas que esperam bebês, fazem gestões junto à secretaria de saúde para colocar o assunto como prioridade. 
 
Uma certeza: com a vontade de Crivella e o apoio e força de todos nós, a maternidade é uma questão de tempo.




Veja Também

Opinião - José Richard - Este ano o carnaval de rua na Ilha do Governador promete ser ainda mais animado, não apenas pela confirmação do desfile de dezenas de blocos de rua, mas principalmente pelo apoio oficial e estrutura que a prefeitura fornecer para a organização do carnaval no Cacuia e Cocotá, dois dos mais tradicionais bairros da região.

Opinião - É crescente a reação de moradores indignados com os vizinhos mal educados que depositam sacos com lixo na porta da casa dos outros ou jogam pelas calçadas. A notícia é boa porque revela que aumenta o número de pessoas conscientes com os conceitos básicos de cidadania.

Opinião - José Richard - Os ensaios de rua da União da Ilha, realizados nas noites das quartas feiras, têm levado um grande público para o trecho da Estrada do Galeão, entre o relógio do Cacuia e a quadra da escola. É curioso como as dificuldades financeiras da agremiação funcionam como estímulo aos componentes que se desdobram em caprichar e levam ao delírio a multidão que assiste na rua ou na sacada dos prédios.

Opinião - A Ilha do Governador é uma das melhores regiões da cidade para se morar. Difícil encontrar um morador que queira trocar por outro lugar na cidade. Fora o problema grave de mobilidade urbana, setor em que pouca coisa funciona bem, ainda assim vivemos melhor que a maioria das outras regiões. Estamos protegidos do trânsito de veículos que apenas usam um território para deslocamento para outras regiões. Quem vem pra Ilha não está indo pra outro lugar, e isso é uma vantagem fantástica que evita a população flutuante que acaba atrapalhando a vida local e complica mais ainda o trânsito.

Opinião - A importância de uma maternidade pública na Ilha do Governador é o de um serviço de saúde essencial para os mais tradicionais moradores da região. Alguns deles nasceram no Hospital Paulino Werneck e naturalmente sentem orgulho de serem verdadeiros insulanos da gema, como se costuma dizer.


Edição 1924
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras