Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião

11/01/2019 - opiniao /Edição 1919
A importância de uma maternidade pública na Ilha do Governador é o de um serviço de saúde essencial para os mais tradicionais moradores da região. Alguns deles nasceram no Hospital Paulino Werneck e naturalmente sentem orgulho de serem verdadeiros insulanos da gema, como se costuma dizer. 
 
O desconforto gerado para mães e familiares foi observado sabiamente pelo prefeito Marcelo Crivella, durante a campanha eleitoral, quando anotou a necessidade de uma maternidade na região. O acompanhamento médico público às gestantes, que hoje é eficaz nos postos de saúde, deixa preocupação na hora do parto, cujos procedimentos precisam ser realizados fora da Ilha e sujeitos a toda espécie de transtornos no trânsito instável da Estrada do Galeão. 
 
O processo para instalação da maternidade nunca foi descartado pelo prefeito, e algumas avaliações já foram estudadas pelos órgãos de saúde que cogitaram o Hospital do Loreto ou o retorno ao Paulino Werneck, lugar de onde nunca deveria ter saído e cuja localização facilita o acesso a todos os bairros da Ilha. 
 
A vereadora Tânia Bastos, junto com o administrador regional Márcio Pimenta e o superintendente Daniel Balbi, que são moradores da Ilha e vivem a preocupação de muitas famílias insulanas que esperam bebês, fazem gestões junto à secretaria de saúde para colocar o assunto como prioridade. 
 
Uma certeza: com a vontade de Crivella e o apoio e força de todos nós, a maternidade é uma questão de tempo.





Edição 1919
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras