Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião - José Richard

19/10/2018 - opiniao /Edição 1907
Tenho repetido algumas vezes que a região da Ilha do Governador é de extrema importância para o desenvolvimento da cidade do Rio de Janeiro. Seja pelo aeroporto internacional e toda planta de serviços aeroviários, seja pelas grandes empresas instaladas na região, como estaleiros e grandes empresas de derivados de petróleo.

Além disso, a população está em torno de 300 mil habitantes, quantidade semelhante, ou maior, do que cidades importantes como Petrópolis, Nova Friburgo e Teresópolis, entre outras.

Todavia, a população não observa, há anos, nenhum movimento transformador que possa ser aproveitada para melhorar a qualidade de vida dos insulanos. Também não existem ações concretas que tratam o desenvolvimento econômico tendo como base um novo modelo de mobilidade urbana com um desenho especial para a região, por extrema necessidade, em razão de ser uma ilha e diferente. Só possui uma saturada via de acesso. Por essas e outras razões, a região deveria ter um tratamento absolutamente diferente das outras localidades do município e do estado para que possa se desenvolver.

Por exemplo, não é possível continuar ser contemplativo com a situação revoltante do sistema de barcas, cujo serviço é essencial, no mínimo como alternativa para o transporte de passageiros para o centro da cidade. No aspecto do lazer, por que não funcionam aos fins de semana para proporcionar passeios de lazer no mesmo trajeto e Paquetá?  Pura maldade contra a população, sobretudo aos mais pobres.

Vamos torcer para o sucesso da nova conjuntura política, a partir de janeiro, esperando que as forças do bem possam estar mais fortes e as soluções se tornem realidade. A população merece!




Veja Também

Opinião - A Ilha do Governador é uma das melhores regiões da cidade para se morar. Difícil encontrar um morador que queira trocar por outro lugar na cidade. Fora o problema grave de mobilidade urbana, setor em que pouca coisa funciona bem, ainda assim vivemos melhor que a maioria das outras regiões. Estamos protegidos do trânsito de veículos que apenas usam um território para deslocamento para outras regiões. Quem vem pra Ilha não está indo pra outro lugar, e isso é uma vantagem fantástica que evita a população flutuante que acaba atrapalhando a vida local e complica mais ainda o trânsito.

Opinião - A importância de uma maternidade pública na Ilha do Governador é o de um serviço de saúde essencial para os mais tradicionais moradores da região. Alguns deles nasceram no Hospital Paulino Werneck e naturalmente sentem orgulho de serem verdadeiros insulanos da gema, como se costuma dizer.

Opinião - A importância de uma maternidade pública na Ilha do Governador é o de um serviço de saúde essencial para os mais tradicionais moradores da região. Alguns deles nasceram no Hospital Paulino Werneck e naturalmente sentem orgulho de serem verdadeiros insulanos da gema, como se costuma dizer.

Opinião -

Opinião - Mais um ano e o problema do transporte marítimo continua encalhado, prejudicando gravemente a mobilidade dos moradores da Ilha do Governador. A falta de uma opção confiável pelo mar é um absurdo que perdura há anos sem solução. Aliás, antigamente o sistema de barcas funcionava muito melhor quando as barcas atracavam na bucólica Ribeira.

Opinião - O verão chegou a as altas temperaturas em conjunção com as férias escolares devem lotar as praias da Ilha do Governador. Entretanto médicos dermatologistas insulanos alertam sobre os perigos de banhos em praias cuja desconfiança é grande sobre os índices de poluição e que podem afetar a saúde de quem, por descuido, ingere um gole ou tem algum machucado não cicatrizado no corpo.


Edição 1920
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras