Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião

31/08/2018 - opiniao /Edição 1900
Não consigo entender as razões que levam algumas pessoas serem tão irracionais quando as posições e pensamentos de outros são diferentes dos seus. É um mal generalizado que prejudica o crescimento da humanidade e afeta seriamente todas as nações. As questões religiosas e políticas são as mais visíveis e perigosas. Amigos rompem amizade simplesmente por opiniões antagônicas e familiares se ofendem profundamente quando, por exemplo, divergem sobre o apoio a algum candidato.
E nesse período de eleições os ânimos estão mais à flor da pele e muita gente reclama do baixo nível de muitos candidatos e redigem comentários ofensivos, principalmente nas plataformas digitais, contrários e furiosos dirigidos contra alguns postulantes a cargos eletivos. A crítica é importante. E, alertar os amigos e conhecidos sobre maus candidatos é um modo de evitar elegermos quem não presta e nem é digno para nos representar.
Postar ofensas é um gesto pequeno. Mas argumentos inteligentes enriquecem a informação e aumentam a credibilidade dos bons e do correto. Acredito que quem tem posições seguras sobre atores políticos bons, deve compartilhar as qualidades para contagiar eleitores indecisos, e cujo critério é votar em gente honesta e competente. Seja pelas redes sociais, telefonemas ou no papo na rua, o exercício da cidadania de modo democrático e respeitoso é fundamental para termos o direito de exigir dos eleitos comportamento igual e a altura das nossas atitudes.
É através do respeito aos que pensam diferente que fortalecemos nossas convicções e, diante de bons argumentos nos convencemos em mudar. Democracia se exerce com liberdade de convicções e o direito de discordar. Mas com respeito a opinião contrária.



Veja Também

Opinião - José Richard - No Cacuia, em frente ao Mundial; no Cocotá, em frente ao Bradesco; na esquina da Rua Colina com a Estrada do Galeão e, em frente ao Ilha Plaza Shopping, são territórios absolutamente dominados pelas vans. Quem manda são elas. A PM e a GM passam e não as vêem.

Opinião - Cacuia, talvez o mais tradicional bairro da Ilha do Governador, tem muitas histórias, é berço da União da Ilha e de grande parte de tradicionais empresas da Ilha. Também tem a maior feira livre da região que acontece nas manhãs de domingo e recebe milhares de consumidores de todos os bairros da Ilha.

Opinião - A falta de credibilidade nas principais instituições públicas brasileiras, como o judiciário, legislativo e executivo me levam a crer que vamos ver um novo rosto do Brasil diante das mudanças que já aconteceram com o resultado das eleições no primeiro turno, e que vai mudar mais a partir de segunda-feira. O novo cenário político dificilmente vai ser tão ruim quanto ao atual.

Opinião - José Richard - Tenho repetido algumas vezes que a região da Ilha do Governador é de extrema importância para o desenvolvimento da cidade do Rio de Janeiro. Seja pelo aeroporto internacional e toda planta de serviços aeroviários, seja pelas grandes empresas instaladas na região, como estaleiros e grandes empresas de derivados de petróleo.

Opinião - José Richard - É triste a imagem das três grandes embarcações juntas e abandonadas no cais do Estaleiro Eisa, como retrata reportagem na página 7 desta edição. O prejuízo causado pelos cancelamentos das encomendas causou graves prejuízos à empresa e à Ilha do Governador, onde viviam, na época, a maioria dos 3,5 mil funcionários demitidos do estaleiro.

Opinião - José Richard - Tenho observado, na redação do Ilha Notícias, o crescimento das reclamações de leitores contra o aumento da sujeira nas praias e do lixo abandonado nas calçadas. São muitas as mensagens enviadas por pessoas indignadas, que chegam através das redes sociais, como Instagram, site, WhatsApp e Facebook. O curioso, é que esse significativo aumento de denúncias contra a imundície, mira nos sujismundos, aquelas pessoas que não estão nem um pouco preocupadas em jogar nas ruas, latas de refrigerante, restos de lanches, papéis e outras porcarias.


Edição 1910
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras