Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião

29/06/2018 - opiniao /Edição 1891
A solenidade pública que será realizada nesta sexta-feira (29), a partir das 16h, no calçadão em frente ao Banco do Brasil, na Portuguesa, vai homenagear os policiais militares que se destacaram no trimestre. A eles serão entregues Moções de Reconhecimento da Câmara Municipal da Cidade do Rio de Janeiro e presentes oferecidos por empresas da Ilha, como gesto de reconhecimento e gratidão.

A ideia do evento é estimular o orgulho da população pela coragem dos brasileiros, que colocam a própria vida em defesa dos cidadãos. Ao mesmo tempo, o gesto da Associação Comercial e dos comerciantes da Ilha, busca aproximar os moradores da PM e resgatar o devido reconhecimento à essa valorosa unidade policial que protege a todos nós.

Uma corporação que perde, por ano, cerca de 120 de seus agentes na luta contra o crime e cujos policiais militares estão sob permanente ameaça nas ruas, seja em serviço ou nos horários de folga com a família, merece ter a admiração e o apoio da comunidade.

O 17º BPM atualmente conta com aproximadamente 200 agentes, mas já teve cerca de 1.100 policiais há cerca de 45 anos, quando o quartel, localizado no bairro do Zumbi foi inaugurado e entrou em operações na Ilha do Governador. E a luta que a PM trava atualmente contra o crime é desigual. Enquanto a corporação diminuiu seu contingente ao longo dos anos, os criminosos se multiplicaram e passaram a ter armamentos mais modernos e letais. 

A simples ronda nas viaturas da PM, para vigiar as ruas, é uma prova de coragem. Enquanto os criminosos se escondem nas sobras, os agentes ficam expostos e vulneráveis a ataques de surpresa. Nenhum policial está seguro em casa ou nas ruas, no trabalho ou na condução. Eles merecem ser homenageados por todos cidadãos desta cidade. É preciso colocar os valores na ordem correta.




Veja Também

Opinião - José Richard - A Transportes Paranapuan que já foi uma das melhores empresas de ônibus da cidade, sofre a pior crise financeira da sua história gerando graves consequências para a população da Ilha do Governador e Fundão. Com os problemas da Paranapuan centenas de trabalhadores, principalmente motoristas e cobradores, foram demitidos, provocando mais desemprego na nossa região, já afetada pelas 3,5 mil demissões no estaleiro Eisa, há cerca de dois anos e sem prazo para retomar suas atividades.

Opinião - José Richard - Esta semana assisti, como muitos outros moradores da Ilha do Governador, um balão de grandes proporções flutuando em nível descendente pelos céus da região, na direção ao aeroporto do Galeão. Ao mesmo tempo, um grupo de homens se deslocava por terra em carros, motos e bicicletas acompanhando a geringonça. E mais dois barcos seguiam pela costa em direção ao Fundão, acredito para tentar recuperar o balão caso os ventos o fizessem pousar na Baía de Guanabara, e seria um alívio para todos nós que se desmanchasse nas águas.

Opinião - Quem acha que é impossível a Light piorar os seus serviços na Ilha do Governador se enganou.

Opinião - Não consigo entender as razões que levam algumas pessoas serem tão irracionais quando as posições e pensamentos de outros são diferentes dos seus.

Opinião - José Richard - As obras que a RioGaleão está realizando na estrada de acesso à Tubiacanga tem um significado muito grande para a Ilha do Governador, e, em especial, para os moradores daquele bairro de pescadores.

Opinião - José Richard - A campanha eleitoral começou nesta semana, e a população da Ilha do Governador e Fundão terão papel importante para a eleição de muitos candidatos. O Fundão pelos milhares de universitários e a Ilha do Governador que possui uma população de leitores superior a maioria das cidades do estado do Rio de Janeiro.


Edição 1903
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras