Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião

16/03/2018 - opiniao /Edição 1876
Vez por outra comento aqui sobre os juros estratosféricos cobrados pelos bancos e a verdadeira covardia que fazem contra quem vai mal financeiramente e precisa de ajuda. Sem perdão, os bancos cobram os juros e taxas mais caras do mundo de quem tem menos ou fica devendo a eles.  
 
As gerações mais novas não sabem, mas antigamente os bancos pagavam juros para ter o nosso dinheiro e ganhavam ao usar esse mesmo dinheiro para emprestar a juros um pouco maiores, e assim cresceram. Agora temos que pagar diversas taxas para ter o dinheiro depositado num banco. Inverteram tudo e os bancos festejam a cada semestre recorde de lucros exorbitantes. Assim é que, mesmo quando todos brasileiros e as empresas nacionais estão mal, os bancos vão muito bem. 
 
O único objetivo dos bancos é o lucro abusivo a qualquer custo, com taxas anuais que chegam a 400% e desse modo acabam com empresas e pessoas. Nessa semana li no Globo um anúncio da Fiesp e Ciesp, entidades que representam os grandes empresários, cujo conteúdo denuncia esse absurdo e mostra um exemplo com números para comparação que nos deixa estarrecidos. Veja o que diz o anúncio:
 
1 - Se uma pessoa tivesse ido a um banco para depositar R$ 100,00 na caderneta de poupança há dez anos teria hoje na conta R$ 198,03.
2 – Se essa mesma pessoa tivesse usado o mesmo valor de R$ 100,00 no cheque especial, na mesma data, teria hoje no mesmo banco uma dívida de R$ 4.394.136,97.
 
Caro leitor, finalmente vejo algum sinal de que outros também não suportam mais este absurdo e abusivo mal que os bancos fazem a todos brasileiros e ao país. É preciso uma mobilização para que eles também sejam instrumentos justos e decentes de desenvolvimento compartilhado com o povo. Pior é que a Caixa e Banco do Brasil do próprio governo cometem a mesma indecência contra o povo.




Veja Também

Opinião - José Richard - As maioria das calçadas da Ilha do Governador são verdadeiros símbolos do descaso do poder público e de moradores omissos. Pela legislação, a manutenção delas e dos respectivos muros cabe aos proprietários dos imóveis, que talvez desconheçam suas responsabilidades ou simplesmente não são orientados, advertidos e multados pelo relaxamento.

Opinião - José Richard - Imagino que o medo dos moradores que vivem em áreas de risco se transforma em pavor sempre que chove.

Opinião - José Richard - As obras na Estrada do Galeão para instalar uma rede de esgotos desde a Vila Joaniza é uma ação pública importantíssima para a região, sobretudo para diminuir a poluição da Baía de Guanabara onde hoje o esgoto daquela região é despejado.

Opinião - José Richard - São atos de muita covardia os constantes assaltos aos passageiros dos ônibus frescões. Quando os bandidos entram nos ônibus surpreendem pessoas que se dirigem a compromissos pessoais e profissionais e ficam reféns diante das armas apontadas para suas cabeças.

Opinião - José Richard - A manhã da quinta feira desta semana foi terrível para quem tinha que utilizar a Estrada do Galeão. Praticamente de ponta a ponta, por mais de duas horas, a nossa única via de saída ficou congestionada por conta da chuva insistente que caiu na região e atrapalhou o trânsito em toda a cidade, mas principalmente por uma obra que se arrasta por semanas na Estrada do Galeão.

Opinião - José Richard - Os temporais de verão cujas chuvas causam graves alagamentos e enchentes estão a cada ano mais severos, causando grandes prejuízos materiais e mortes, seja por afogamento nos rios que transbordam ou nos deslizamentos de encostas que derrubam casas e soterram moradores. O noticiário internacional mostra que está acontecendo em todo mundo, fora os tsunamis.


Edição 1933
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras