Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião

16/03/2018 - opiniao /Edição 1876
Vez por outra comento aqui sobre os juros estratosféricos cobrados pelos bancos e a verdadeira covardia que fazem contra quem vai mal financeiramente e precisa de ajuda. Sem perdão, os bancos cobram os juros e taxas mais caras do mundo de quem tem menos ou fica devendo a eles.  
 
As gerações mais novas não sabem, mas antigamente os bancos pagavam juros para ter o nosso dinheiro e ganhavam ao usar esse mesmo dinheiro para emprestar a juros um pouco maiores, e assim cresceram. Agora temos que pagar diversas taxas para ter o dinheiro depositado num banco. Inverteram tudo e os bancos festejam a cada semestre recorde de lucros exorbitantes. Assim é que, mesmo quando todos brasileiros e as empresas nacionais estão mal, os bancos vão muito bem. 
 
O único objetivo dos bancos é o lucro abusivo a qualquer custo, com taxas anuais que chegam a 400% e desse modo acabam com empresas e pessoas. Nessa semana li no Globo um anúncio da Fiesp e Ciesp, entidades que representam os grandes empresários, cujo conteúdo denuncia esse absurdo e mostra um exemplo com números para comparação que nos deixa estarrecidos. Veja o que diz o anúncio:
 
1 - Se uma pessoa tivesse ido a um banco para depositar R$ 100,00 na caderneta de poupança há dez anos teria hoje na conta R$ 198,03.
2 – Se essa mesma pessoa tivesse usado o mesmo valor de R$ 100,00 no cheque especial, na mesma data, teria hoje no mesmo banco uma dívida de R$ 4.394.136,97.
 
Caro leitor, finalmente vejo algum sinal de que outros também não suportam mais este absurdo e abusivo mal que os bancos fazem a todos brasileiros e ao país. É preciso uma mobilização para que eles também sejam instrumentos justos e decentes de desenvolvimento compartilhado com o povo. Pior é que a Caixa e Banco do Brasil do próprio governo cometem a mesma indecência contra o povo.




Veja Também

Opinião - Quando penso que as pessoas perderam a sensibilidade e não se emocionam com mais nada, sou surpreendido com a incrível e espontânea alegria das crianças e adultos durante a chegada de Papai Noel na festa que o Ilha Notícias e diversos parceiros realizaram domingo no estádio da Portuguesa.

Opinião - José Richard - O ano vai chegando ao fim rapidamente e logo estaremos vivendo um novo momento cheio de grandes perspectivas, sobretudo na política nacional. Se 2018 foi instável e repleto de ações da polícia federal colocando na cadeia muitos poderosos, demonstrando que os bandidos de colarinho branco não são mais protegidos pelos poderosos e vão igualmente para trás das grades com o rigor no tamanho do dinheiro que se apoderaram criminosamente. Por outro lado é grande a expectativa dos brasileiros com as mudanças que deverão ser implementadas pela equipe do novo governo comandado pelo presidente Jair Bolsonaro.

Opinião - Na terça, dia 27, a população da Ilha do Governador sofreu por cerca de três horas com um mega congestionamento que se estendeu da entrada da Ilha até o relógio do Cacuia e por outras vias importantes paralisando muitas atividades que dependem do deslocamento de pessoas. Ou seja, quase tudo.

Opinião - José Richard - O estacionamento irregular de veículos em cima das calçadas, na maioria das vias da Ilha do Governador, é uma ilegalidade que acontece na maioria das vezes por falta de vagas e de prédios com garagens. Muitas vezes também por motoristas abusados que já se acostumaram a praticar esse abuso fora da lei que prejudica os pedestres que circulam pelas calçadas.

Opinião - É inacreditável o grave tumulto protagonizado por auto intituladas torcidas organizadas na Rua Combu, na tarde do sábado, dia 10, e que resultou na morte de um jovem torcedor do Flamengo.

Opinião - José Richard - No Cacuia, em frente ao Mundial; no Cocotá, em frente ao Bradesco; na esquina da Rua Colina com a Estrada do Galeão e, em frente ao Ilha Plaza Shopping, são territórios absolutamente dominados pelas vans. Quem manda são elas. A PM e a GM passam e não as vêem.


Edição 1915
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras