Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião

07/07/2017 - opiniao /Edição 1840
O trânsito na Ilha está muito lento na Estrada do Galeão quase todos os dias, por razões diversas e em horários totalmente inexplicáveis, como por exemplo no início da tarde, quando o fluxo de entrada e saída é normal.

É claro que a quantidade de veículos, entre automóveis, ônibus e caminhões que utilizam a via é muito grande, semelhante ao de uma cidade de porte médio, e isso deve ser um dos maiores motivos do trânsito lento. As ruas vivem abarrotadas de carros circulando, e por absoluta falta de mais estacionamentos, perdem tempo circulando até encontrar espaço para estacionar. 

Outro fator importante, que atravanca as vias públicas é a circulação de centenas de vans e kombis que não respeitam as leis de trânsito e cometem todos os tipos de infrações, como avanço de sinais, alta velocidade e as vezes resolvem se arrastar em busca de passageiros, segurando abusivamente o fluxo do trânsito.

A Estrada do Galeão também é rota de centenas de caminhões enormes e pesados que transportam insumos e produtos para as principais indústrias da Ilha como Shell e Cosan. Essas empresas estão localizadas na Ribeira, distante da entrada da Ilha e os veículos são obrigados a percorrer trajeto por toda extensão da Estrada do Galeão e outras ruas, contribuindo para as dualidades no trânsito.

Alguns sinais, cujo tempo não está corretamente regulado com o fluxo de veículos é um problema que também complica a circulação dos carros. Talvez esse seja o mais fácil de resolver e pode ajudar a diminuir o sofrimento dos motoristas insulanos. Esses são alguns dos ingredientes da lentidão no trânsito da Ilha. Com a palavra a Cet Rio.





Edição 1881
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras