Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião

16/06/2017 - opiniao /Edição 1837
A partir desta semana a Ilha do Governador entra definitivamente para o noticiário do mundo do futebol. A inauguração do Estádio Luso-Brasileiro, na quarta (14), com a realização do primeiro jogo do Flamengo na Ilha do Urubu, nome como ficou conhecido o estádio pela torcida rubro-negra, altera a geografia dos jogos do Campeonato Brasileiro.

O estádio, o gramado e toda estrutura ficaram a altura da realização de grandes jogos e a expectativa é de que o estádio projete a região e revele para as autoridades públicas a necessidade de muitos investimentos, sobretudo na questão da mobilidade urbana, que sacrifica diariamente a população que trabalha fora da região.

Problemas, como o vergonhoso serviço de vans e kombis que atrapalham o trânsito, causando congestionamentos em locais como o Mundial, Shopping, República Árabe da Síria e Bradesco no Cocotá, precisam ser resolvidos para colocar as questões dos sistemas de transportes resolvidas e dar mais mobilidade à população insulana que já ultrapassa 250 mil habitantes e tem problemas do tamanho de uma verdadeira cidade.

É inadmissível que o serviço de transporte marítimo continue sem embarcações e horários para atender as demandas da população de modo eficiente. Escravo das decisões políticas equivocadas, a população é obrigada a suportar ônibus caros e superlotados que não tem linhas para diversas regiões da cidade. Pior é que inexistem estudos, planos ou projetos para mudar esse cenário. 

O BRT que em um primeiro momento teria uma estação na Estrada do Galeão, em frente à entrada da Base Aérea, não passou de miragem e os passageiros são obrigados a ir até o Fundão, gastando tempo em deslocamentos que poderiam ser evitados com a estação na Ilha.   

Os sistemas de barcas, ônibus, vans e BRT precisam funcionar em condições excelentes para garantir bons serviços à população. Essa é uma pauta que precisa estar permanentemente em debate pela população e por suas instituições de representatividade, ou nunca as coisas vão mudar. Acredito que com a visibilidade dos jogos do Flamengo a região poderá aproveitar os holofotes para exigir soluções em diversas áreas públicas. Torço por isso.



Veja Também

Opinião - O preço e a falta de tempo de tolerância nos dois principais estacionamentos localizados na Estrada do Galeão, em frente ao Extra e ao Mc’Donalds, continuam a indignar os motoristas insulanos. É incrível a falta de bom senso dos concessionários que exploram o espaço da prefeitura e de modo injusto prejudicam a vida de muitos insulanos.

Opinião - Estou preocupado com a proximidade do verão e a fragilidade financeira do estado para evitar possíveis catástrofes geradas pelas tempestades próprias da estação. A anemia dos cofres públicos também deve estar atingindo os órgãos de defesa civil e bombeiros. Desconfio e tenho medo de admitir que a provável realidade dos quarteis, seja a mesma dos outros órgãos que vivem com salários atrasados, desmotivados e sem a necessária manutenção e renovação de equipamentos.

Opinião - Considerando as declarações do Ministro da Justiça, Torquato Jardim, o crime organizado tomou conta do nosso estado e, segundo ele o envolvimento de políticos e policiais com as facções criminosas é a razão da grave crise de violência cuja vítima é a população.

Opinião - Estou convencido que devemos lutar para que a Ilha seja uma região diferenciada e o argumento, por exemplo, de que problemas como a falta de segurança, carros em cima de calçadas e a desordem no sistema de transporte alternativo realizado por vans, são problemas que também existem em outros lugares, mas isso não justifica que continuem a existir por aqui.

Opinião - O aumento do clima de insegurança nas imediações da Vila Joaniza ou do Morro do Barbante e Itacolomi está colocando em pânico os moradores das redondezas. Nesta semana, agentes da secretaria de urbanismo e habitação que foram na comunidade verificar problemas em obras públicas que estão sendo executadas, ficaram encurralados durante uma troca de tiros entre bandidos e policiais.

Opinião - Quem não tem talento para criar belas obras de arte, exibe o melhor de si através de figuras grotestas e desrespeitosas para chocar o público, como o conjunto de podridão cultural com cenas de zoofilia, pedofilia e blasfêmia expostas há poucos dias no Queermuseu, do Santander, em Porto Alegre.


Edição 1859
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras


 

Copyright© 2010 Ilha Notícias. Todos os Direito Reservados.
Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.