Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião

19/05/2017 - opiniao /Edição 1833
A insegurança nas ruas provocadas por centenas de motos que circulam sem placas ou com a placa encoberta, certamente para não ser identificada, é um absurdo. Nesta semana, estava parado em um sinal vermelho da Estrada do Galeão, no meio de outros veículos e alguns ônibus, quando duas motos, ultrapassaram o sinal fechado sem nenhum constrangimento. Mais adiante ultrapassaram uma viatura da PM sem serem abordados. 
 
Diante de fato tão corriqueiro, alguns leitores podem me pedir para comentar, nesse espaço, sobre alguma novidade, porque isso todo mundo já sabe. O abuso e desrespeito das motocicletas contra as leis do trânsito nas ruas da Ilha, já não causa espanto para alguns, mas ainda afeta a maioria da população. A desfaçatez dos motoqueiros que cometem ilegalidades no trânsito, agride quem tem princípios e zela pela obediência às leis. É a parte do iceberg submerso das irregularidades no trânsito, também cometidas pelas vans e que precisam, urgente, ter mais fiscalização das autoridades.
 
Também é inacreditável a velocidade que as motos circulam entre os carros, fato que além de assustar os motoristas, coloca em risco os pedestres que atravessam as vias nas faixas de segurança. Enquanto esses motoqueiros abusam dos limites e trazem problemas na fluidez do trânsito, os motoristas são obrigados a tomar cuidados extremos para não causar batidas em algumas delas e ferir gravemente os motociclistas que se arriscam em manobras perigosas e talvez não percebam a fragilidade a que se expõe entre os carros.
 
Enquanto a polícia não agir de modo rigoroso e permanentemente contra a circulação de motos sem placas e motociclistas sem capacetes, eles vão entender que a polícia é conivente e continuarão a gerar ilegalidades no trânsito. Afinal, onde não existe fiscalização os irresponsáveis agem livremente.




Veja Também

Opinião - José Richard - Li, acho que em um pais da Europa, que durante uma greve de ônibus, os táxis e lotações resolveram ajudar a população e diminuíram o preço das passagens para permitir que os passageiros continuassem com as suas atividades normais. Entenderam que com o aumento do número de passageiros durante o movimento grevista podiam diminuir o preço que ainda assim teriam lucros extraordinários. Foram solidários ao seu povo, que precisava trabalhar, ir ao médico ou estudar, entre outras atividades da rotina de quem vive.

Opinião - Vai ser muito complicado conter as invasões que continuam acontecendo no bairro do Galeão e arredores. Pessoas continuam a ocupar terras e se instalam em áreas militares sem que haja nenhuma infraestrutura para uma vida digna.

Opinião - José Richard - As nefastas consequências do movimento dos caminhoneiros que nesta semana atingiu praticamente todas as cidades brasileiras demonstram a nossa extrema dependência das áreas de transporte, energia elétrica e fornecimento de água, por exemplo. Elas são quase tão essenciais como o ar que respiramos.

Opinião -

Opinião - José Richard - Nessa semana o Ilha Notícias registra em suas páginas dois importantes movimentos sociais, cujas ações foram dirigidas para ajudar o próximo. O grupo Soul Pixta, formado por insulanos que se divertem de modo tranquilo quase sempre ao som de músicas de cultura alternativa, realizou um evento na véspera do Dia das Mães, destinado a proporcionar ações de embelezamento facial para mães que normalmente não possuem condições de frequentar o salão de beleza. O gesto foi espontâneo e contou com a participação de diversos jovens do coletivo que deram um belo exemplo de carinho a diversas mães.

Opinião -


Edição 1889
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras