Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião

20/04/2017 - opiniao /Edição 1829
É preocupante, mas existem indícios de que criminosos de outras regiões da cidade como Maré e Duque de Caxias estariam praticando crimes na Ilha. O sinal veio de comerciantes alertando ao jornal que grupos de jovens estranhos e com atitudes suspeitas estão sendo vistos principalmente nas ruas da Ribeira e Zumbi. Por coincidência, recentemente alguns assaltos foram denunciados por vítimas daquelas regiões, situação que é preocupante para dois bairros que sempre foram tranquilos. 
 
No Jardim Guanabara, esta semana um carro foi fechado por um veículo com bandidos e um motociclista, nas imediações da Rua Cambaúba e Marino da Costa. A motorista foi sequestrada, agredida e obrigada a sacar altos valores da conta bancária. Depois de ser ameaçada de morte e foi abandonada distante da Ilha. Fatos semelhantes a esse, de motoristas sendo seguidos por ruas da Ilha, estão se tornando mais frequentes e deixam os insulanos de cabelos em pé.
 
Um morador, que tem absoluta razão, reclama da existência de grande quantidade de quebra-molas nas ruas da Ilha, alguns inúteis - porque não existe escola, hospital ou clínica de saúde perto - e favorecem a criminalidade no momento que o motorista se vê obrigado a diminuir a velocidade e fica vulnerável a ação, sempre rápida, dos criminosos, que contam com a distração dos motoristas.
 
Por outro lado, continuam por todos os bairros da Ilha os assaltos praticados por motoqueiros pilotando motocicletas sem placas e roubando todos os pertences principalmente de mulheres que se sentem impotentes e desprotegidas. 
 
A Ilha não é território de bandidos e espera ações contundentes da PM para acabar esses crimes. A Ilha quer paz.




Veja Também

Opinião - José Richard - Li, acho que em um pais da Europa, que durante uma greve de ônibus, os táxis e lotações resolveram ajudar a população e diminuíram o preço das passagens para permitir que os passageiros continuassem com as suas atividades normais. Entenderam que com o aumento do número de passageiros durante o movimento grevista podiam diminuir o preço que ainda assim teriam lucros extraordinários. Foram solidários ao seu povo, que precisava trabalhar, ir ao médico ou estudar, entre outras atividades da rotina de quem vive.

Opinião - Vai ser muito complicado conter as invasões que continuam acontecendo no bairro do Galeão e arredores. Pessoas continuam a ocupar terras e se instalam em áreas militares sem que haja nenhuma infraestrutura para uma vida digna.

Opinião - José Richard - As nefastas consequências do movimento dos caminhoneiros que nesta semana atingiu praticamente todas as cidades brasileiras demonstram a nossa extrema dependência das áreas de transporte, energia elétrica e fornecimento de água, por exemplo. Elas são quase tão essenciais como o ar que respiramos.

Opinião -

Opinião - José Richard - Nessa semana o Ilha Notícias registra em suas páginas dois importantes movimentos sociais, cujas ações foram dirigidas para ajudar o próximo. O grupo Soul Pixta, formado por insulanos que se divertem de modo tranquilo quase sempre ao som de músicas de cultura alternativa, realizou um evento na véspera do Dia das Mães, destinado a proporcionar ações de embelezamento facial para mães que normalmente não possuem condições de frequentar o salão de beleza. O gesto foi espontâneo e contou com a participação de diversos jovens do coletivo que deram um belo exemplo de carinho a diversas mães.

Opinião -


Edição 1889
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras