Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Opinião

17/03/2017 - opiniao /Edição 1824
Um dos assuntos mais recorrentes nesta coluna é o problema das vans que transportam passageiros na Ilha do Governador. Não sei como funcionam em outras regiões da cidade, mas na Ilha esse serviço é péssimo. Além de não obedecerem nenhuma sinalização de trânsito, essas vans embarcam passageiros em qualquer lugar, mudam trajetos para não perder passageiros, além de causarem uma tremenda confusão ocupando a totalidade dos espaços nos pontos de ônibus. É uma vergonha!
 
A circulação de vans e kombis, principalmente as irregulares e em péssimo estado de conservação, ameaça a segurança dos passageiros e cria situações ameaçadoras no trânsito, como na quinta-feira (16), quando uma dessas vans piratas desrespeitou uma blitz e foi perseguida pela polícia, por cerca de três quilômetros, da entrada da Ilha até a Rua Antônio Nascimento, no Jardim Guanabara, onde parou depois de provocar um acidente.
 
A tentativa de organizar o sistema de vans fracassou porque inexiste fiscalização. O esforço da Guarda Municipal, que na Ilha nunca contou com um contingente com mais de 15 agentes, é insuficientes para controlar mais de 500 vans que circulam a toda velocidade pela região. E uma fiscalização séria, deveria verificar apenas as condições dos veículos ou da habilitação dos motoristas, mas incluiria o funcionamento do cartão Riocard, equipamento que vergonhosamente não é aceito em muitas vans. 
 
Estamos reféns das vans e de todo tipo de desordem urbana que os motoristas desses veículos provocam. Sem fiscalização permanente e a aplicação de medidas duras para controlar a circulação o perigo nas ruas vai piorar e a população continuará sendo a única vítima das vans. 
 
Desprotegido, resta ao cidadão pedir a proteção de Deus.




Veja Também

Opinião - José Richard - A comunidade da Ilha do Governador sofreu bastante com o forte temporal que atingiu a região na quinta, dia 15. As autoridades atualizaram para 255 a quantidade de árvores que foram derrubadas pela forção da ventania e o trabalho de normalização das vias e calçadas só deve chegar ao fim nos próximos dias.

Opinião - José Richard - Essa terrível tempestade que desabou na cidade e principalmente na Ilha do Governador, na madrugada da quinta-feira (15), deixou nossa terra arrasada. Quase 200 árvores gigantes, algumas centenárias, foram arrancadas do solo como se fossem de papel.

Opinião - José Richard - Essa terrível tempestade que desabou na cidade e principalmente na Ilha do Governador, na madrugada da quinta-feira (15), deixou nossa terra arrasada. Quase 200 árvores gigantes, algumas centenárias, foram arrancadas do solo como se fossem de papel.

Opinião - José Richard - Há algum tempo quando a Ilha era uma região mais tranquila, havia uma cabine da Polícia Militar localizada no canteiro central entre o Casa Show e a passarela. Nela trabalhava o cabo Afonso, PM que por muitos anos foi uma das pessoas mais conhecidas e respeitadas da Ilha em razão da admiração que conquistou, por sua educação e integridade. Simbolizava a presença da lei e era respeitado por todos.

Opinião -

Opinião - Esta semana a imprensa divulgou a estatística de 2017 referente as multas de trânsito aplicadas em vans, da cidade do Rio de Janeiro, no ano passado, e a Ilha do Governador foi a região campeã com 787 infrações das 3.580 aplicadas na cidade. Superamos bairros como Madureira 387, Barra da Tijuca 182 e Bangu com 98 multas. Essa diferença vergonhosa revela, aquilo que a população constata e sofre diariamente nas ruas diante da bagunça generalizada provocada pela maioria das vans que circulam nas ruas da Ilha.


Edição 1873
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras