Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
orkut
blogger

Karen já passou em 11 concursos

23/03/2012 - noticias /Edição 1564

Quando decidiu entrar na acirrada disputa por uma vaga em um cargo público, a contadora insulana Karen Mancini não imaginou o sucesso que a vida como concurseira ia lhe trazer. Com 27 anos, a insulana já foi aprovada em 11 concursos públicos e com a sua experiência se dedica a dar aulas para quem sonha com uma aprovação.

 

De família humilde, Karen conta que trancou a faculdade de economia na UFF em busca de uma estabilidade financeira. "Estava no 6º período, mas tinham muitas greves na faculdade e eu queria trabalhar logo. A minha irmã deu a ideia de entrarmos para um cursinho e tentar vagas em cargos públicos, resolvi me arriscar", conta Karen que é moradora do Cocotá. Aos 20 anos, ela se matriculou em um curso na Academia do Concurso e logo no primeiro desafio conseguiu aprovação para técnica administrativa da Eletrobrás.

 

– Foi uma preparação de dois meses e na época tentei nível médio já que eu não era formada. A aprovação foi um estímulo enorme. Percebi que era uma questão de foco, organização e de ter uma rotina com os estudos – dá a dica.

 

Karen explica que um dos benefícios de trabalhar na Eletrobrás era a oportunidade de ter os estudos universitários financiados e aproveitou a chance para assim continuar estudando e no futuro conseguir uma vaga em um cargo de nível superior. "Eu não já não estava mais interessada no curso da UFF e me matriculei na primeira turma de Ciências Contábeis da Fabec, que era a faculdade da Academia do Concurso. Durante a faculdade tive aulas especiais para prestar concursos e passei para dois deles de nível superior. Assim que me formei fui chamada para ser a auditora da UniRio e depois trabalhei como contadora na Cedae", conta.

 

Boa aluna, Karen recebeu convite de um professor para assumir três disciplinas na Fabec, onde se formou. "Fiquei empolgada com o convite porque estudar e viver toda a expectativa se tornou uma parte feliz e emocionante da minha vida. Dando aulas, eu descobrir um novo prazer e vibro com cada aluno que atinge o objetivo", comenta.

 

É claro que nem tudo foi assim tão fácil. Karen conta que sacrificou muitas finais de semana de lazer para se dedicar aos conteúdos das provas e ainda viveu um momento difícil quando a mãe sofreu um infarto no dia da prova para a Polícia Civil. "A vaga de investigador da Polícia Civil era um sonho para minha irmã Caroline e estudávamos juntas. No dia da prova minha mãe passou mal, deixamos ela no hospital e fomos para a prova, porque ela não queria que deixássemos de fazer. Infelizmente minha irmã não passou", lamenta.

 

Karen foi aprovada nos concursos para Eletrobrás, Controladoria Geral do Município, Unirio, Dataprev, Ministério do Desenvolvimento Agrário, Tribunal de Justiça de São Paulo, Cedae, Analista de Sistema do Ministério Público da União, Polícia Civil, Analista de Planejamento da Comissão de Valores Mobiliários e na Finep (financiadora de estudos e projetos), que é o seu atual emprego como auditora e contadora com o salário de R$ 8 mil por mês.

 

Além das aulas na Fabec, Karen abriu o seu próprio curso no ano passado, o Mancini Módulos. Ela também dá aulas através de vídeos para o site Concurso Virtual, que é acessado por concurseiros de todo Brasil. Casada há cinco anos, conta que o segredo para ter tempo de se dedicar a tudo é a organização e diz que não pretende parar. "Em junho ainda faço a prova para o Tribunal Superior Eleitoral, que é o meu grande sonho. Com persistência e disciplina todos podem chegar lá", garante.




Veja Também

Coreto ganha obras de revitalização - O jornal Ilha Notícias publicou na edição do dia 19 de dezembro do ano passado, denúncia contra as péssimas condições do coreto da Praça Manguetá, no Cacuia. A matéria aconteceu diante das reclamações que a moradora Adelaide Pontual fez ao jornal. Na ocasião, o coreto que já tem 79 anos e é uma referência no bairro, tinha problemas na sustentação da cobertura, as proteções laterais soltas e parte do teto sem telhado.

Canteiro pode virar ciclovia - Em 2012 ciclo-ativistas festejaram a aprovação de um projeto para implantar na Ilha um anel cicloviário com 18,2 km de rotas cicláveis. A expectativa era implantar uma estrutura segura e de qualidade para os ciclistas insulanos. Todavia, no desenrolar da execução do projeto, várias alterações impostas por órgãos de engenharia de tráfego limitaram a ideia a discutíveis faixas compartilhadas, modificações que provocam duras críticas da população insulana contra a subprefeitura diante do perigo que oferecem aos ciclistas e motoristas.

Basquete do Jequiá volta a brilhar - O Jequiá Iate Clube está retornando as suas raízes de formar times de basquete competitivos para alegria dos que ajudaram a fazer a história de mais de 40 anos de tradição do clube no basquete. Atletas que tiveram passagens honrosas e dignificaram o nome do Jequiá, como Fabiano Ferreira, Tiago Fernandez, Márcio Paulo e Pedro Rubem, iniciaram um projeto de recuperação do basquete do clube e já estão conseguindo resultados significativos.

Perigo na escadaria entre duas ruas - A escadaria que liga a Rua Gregório de Castro Moraes à Rua Cambaúba, no Jardim Guanabara está gera medo e constrangimento aos moradores das imediações e pessoas que utilizam a servidão. O local está com aspecto de abandonado, durante a noite a escuridão é absoluta, transeuntes que precisam passar pelo local contam que é muito arriscado utilizar o escadão.

Homem é morto após tentar assalto - Na tarde de quarta (25), uma tentativa de assalto dentro da casa de câmbio Bank Tour, na Portuguesa terminou com a morte de Cleyson Chaves Lima, 23. De acordo com policiais militares que fizeram a ocorrência, Cleysson, era morador da Nova Holanda, favela dos conjuntos da Maré e pertencia a uma quadrilha especializada em saidinhas de banco.

PM muda estratégia de segurança - Com o crescimento abrupto de ações criminosas nos meses de fevereiro e março, o comandante do 17º BPM, Tenente Coronel Wagner Nunes, iniciou uma nova estratégia de segurança para a Ilha. De acordo com o comandante uma nova modalidade delituosa começou a acontecer na região, que são os roubos de veículos com o sequestro momentâneo do proprietário.


Edição 1721
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Poll ID 0 does not exist.


 

Copyright© 2010 Ilha Notícias. Todos os Direito Reservados.
Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.