Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Mutirão no Parque Marcello de Ipanema

01/02/2019 - noticias /Edição 1922
Guimbas de cigarro, velas, garrafas pet e até camisinhas usadas são alguns dos itens coletados no mutirão de limpeza realizado, na manhã de sábado (26), no Parque Ecológico Marcello de Ipanema, na Praia da Bica, por um grupo de 30 voluntários, cujas ações contaram com o apoio da prefeitura. O objetivo da ação foi revitalizar a área que possui uma linda vista e faz parte da história da região. 

O parque foi criado em dezembro de 1995, pela prefeitura e o nome é uma homenagem ao historiador e professor Marcello de Ipanema. A ideia era proteger a área contra o avanço imobiliário, mas atualmente o local é frequentado por dependentes químicos e moradores de rua. Outro problema crônico são os despachos e a sujeira deixada por frequentadores.

Durante o evento, que contou com a participação da Comlurb que recolheu lixo e galhos que obstruíam os caminhos, houve uma palestra de três agentes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente que conscientizaram sobre a importância da preservação do parque e das árvores que são remanescentes de Mata Atlântica. A Fundação Parque e Jardins enviou cerca de 100 mudas de plantas nativas que foram plantadas e devem ajudar a manter a beleza do espaço.

O grupo de voluntários, liderado pelo fotógrafo Roberto Macchiute, junto com agentes da prefeitura aproveitou para planejar ações futuras destinadas a melhorar mais as condições de uso público do parque. A vereadora Tânia Bastos que foi fiscalizar as ações da prefeitura, disse que a ação foi importante. “Quando a comunidade toma a iniciativa para uma atividade como essa, é obrigação dos órgão públicos estar presente e apoiar”.

Para Macchiute, o mutirão de limpeza atingiu o objetivo.

- Conseguimos uma interação importante entre a população e os órgãos públicos em prol de uma atividade cidadã. O que é difícil nos dias de hoje. A natureza da Ilha precisa ser valorizada e explorada da melhor maneira possível pelos moradores da região. O próximo passo é criar no parque eventos culturais, infanto-juvenis, esportivos, musicais que atraiam as pessoas para frequentar o local.





Edição 1933
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras