Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Curto circuito quase mata criança

04/01/2019 - noticias /Edição 1918
Um acidente provocado por um poste da Light, na Rua 50, no Galeão, quase matou uma criança de 5 meses. Na quinta (13), quando mãe filha saiam de uma loja de fotografias, o fio começou a pegar fogo e faíscas atingiram a criança que foi levada ao Hospital Municipal Evandro Freire 
desacordada e com queimaduras de segundo grau. A família disse que irá processar a Light.

Segundo moradores, e a dona da loja em frente ao poste, onde o fato aconteceu, não é a primeira vez que o problema colocam em perigo as pessoas. Eles afirmam que quase toda a 
semana os cabos do poste pegam fogo, a Light é chamada, vai ao local, troca o cabo que queimou, mas não faz reparos para impedir que o incidente torne acontecer.

— Eu já fiquei diversas vezes presa dentro da minha loja, pois os fios do poste estavam pegando fogo e não tinha como sair. Quando ligamos para os bombeiros eles dizem que a Light é que deve vir, e a empresa por sua vez, leva muito tempo para chegar. Normalmente as chamas são apagadas pelos moradores com arreia, que já fica guardada para esses casos, pois é um problema recorrente — disse Thelma Portilho, comerciante do local. Comerciantes da região com lojas próximas ao acidente, reclamam que ficam muitas vezes sem energia elétrica e não conseguem trabalhar, por causa dos constantes curtos circuitos no poste que geram graves prejuízosa os negócios. 

Moradores informam que a Light começou a instalar uma nova rede elétrica para evitar furtos de energia e 
melhorar o atendimento de energia na comunidade, mas as obras foram paralisadas. A insulana Isabela de Santos, mãe da pequena Alice que se feriu no incidente, disse que agora evita passar pelo local e garante que já tinha reclamado com 
a Light do risco no local.

— Quando chegamos no hospital os médicos falaram que foi um milagre ela não ter tido morrido. A minha filha ficou com queimaduras e até hoje a Light não nos ofereceu nenhuma ajuda com remédios ou assistência médica”.



Veja Também

Aulas de Jiu-jitsu e Muay Thai na Lusa - A Associação Atlética Portuguesa abre as portas para os fãs de artes marciais e em parceria com o lutador de MMA, Leandro Popeye, instalou uma Academia de Lutas no subsolo do ginásio com acesso ao lado da sala seis. Trata-se da GFT Portuguesa, que tem aulas de jiu-jitsu, muay thai, boxe e treinamento funcional, de segunda a sexta, em diversos horários.

Os 20 de Ouro fecham o carnaval de rua - O bloco “Os 20 de Ouro do Mestre Odilon”, desfilou no sábado (16), encerrando as comemorações do carnaval de rua, na Ilha. O bloco fundado em 2016, desfilou pelo terceiro ano e atraiu cerca de 1500 foliões, segundo a Guarda Municipal. A concentração foi na Estrada Rio Jequiá, altura do Posto de Saúde Necker Pinto, e o desfile seguiu até a Praça Iaiá Garcia, na Ribeira.

Projeto Casas da Noruega faz 10 anos - Snorre e jogadores comemoram a vitória da Norway Cup

RioGaleão forma Monitores Ambientais - A RioGaleão, concessionaria que administra o Aeroporto do Galeão, realizou no na quinta(14), a formatura da turma que concluiu em 2018 o Projeto Conexão Escola. Mais de 70 pessoas, entre crianças, familiares e representantes do Aeroporto Internacional Tom Jobim compareceram à apresentação que certificou alunos como Monitores Ambientais.

Obra lenta prejudica motoristas - As obras do Programa Favela Bairro, que vão beneficiar um total de 12 mil moradores da Vila Joaniza, tem causado transtorno aos motoristas na Estrada do Galeão. Desde meados de 2018, a empresa Volume, contratada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação (SMIH), realiza intervenções do trecho desde a Prefeitura da Aeronáutica até a loja do Casa Show, para implantação de uma rede coletora de esgoto da comunidade que terá destino final a Estação de Tratamento da Cedae no Tauá.

Empreendimento gera protesto na Ribeira - A construção de um condomínio no terreno onde era a Fazenda do Cabaceiro, localizada na Ribeira, foi alvo de uma manifestação realizada no sábado (9), na rua em frente ao empreendimento imobiliário e contou com a presença de um grupo de moradores da região. Os manifestantes condenaram a derrubada de 74 árvores na área da fazenda e consideram ilegal a construção de um condomínio com dois prédios num total de 48 apartamentos.


Edição 1929
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras