Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Ilha quer a volta da loja da Light

01/11/2018 - noticias /Edição 1909
Além das constantes críticas quanto a qualidade dos serviços da Light, os insulanos continuam contrariados com a empresa que fechou há cerca de dois anos a loja de atendimento à população que funcionava no shopping, e pedem para que seja reaberta. Embora a empresa alegue que o atendimento virtual já represente 70% do total, muitos serviços não podem ser realizados virtualmente, o que obriga o consumidor ser obrigado a ir à loja da Light mais próxima, que fica na Penha, cerca de 15km de distância da Ilha. 

A Light possui quase 80 mil clientes na Ilha do Governador, entre residências e atividades comerciais. Para resolver assuntos que na plataforma online não são possíveis, a empresa desloca esporadicamente uma agência móvel para a Ilha, cuja eficiência é criticada pelos moradores. O insulano Ricardo Marques está a dois meses tentando o desligamento definitivo de luz de uma das suas salas comerciais, mas esbarra na burocracia criada pela empresa e na falta de tempo. 

— Esse é um procedimento que já tentei pela internet e por duas vezes na agëncia móvel e não consegui. Sempre há um motivo novo para que o meu pedido não seja acatado. Enquanto luto para tentar desligar, as faturas não param de chegar. São valores baixos, é verdade, mas afinal de contas não estou utilizando o local e isso vai minando nossa paciência – diz Ricardo, bastante contrariado.

De acordo com a Light, a sua loja no shopping foi fechada em janeiro de 2016, seguindo uma tendência no setor de serviços de incentivo ao uso dos canais virtuais. No entanto, afirma a empresa, por meio de pesquisas realizadas nos canais online, quando notado um grande número de acesso dos clientes da Ilha, uma agencia móvel é deslocada à região para tentar ajudar na solução de problemas, como aconteceu nos últimos quatro meses. 

Quanto à oscilação da energia e falta de luz constante em diversos bairros da Ilha, a Light, que não consegue resolver o problema, se defende jogando a culpa para o alto número de furtos de energia na região. De acordo com a empresa, o furto chega a 36,61% e garante que cerca de 70% das interrupções na Ilha acontecem em áreas onde o índice de furto de energia é maior. O insulano Rodrigo Abreu, morador do Jardim Guanabara, pede a Light tenha competência para conter os roubos.

— Eu que pago em dia as contas, não posso ser prejudicado e ter um atendimento ruim, por conta de gatos. Eu sei que o problema parte de outros cidadãos, mas a Light precisa agir com mais competência e rigor para identificar os roubos e evitar que os outros consumidores, como eu, que não tem nada com isso, sejam mal atendidos. 

Falta à Light sensibilidade para reinstalar a loja que fechou na Ilha  prejudicando a população, e também de investimentos em equipamentos modernos para identificar o roubo de energia, acabando com a oscilação e falta de luz.




Veja Também

Aulas de Jiu-jitsu e Muay Thai na Lusa - A Associação Atlética Portuguesa abre as portas para os fãs de artes marciais e em parceria com o lutador de MMA, Leandro Popeye, instalou uma Academia de Lutas no subsolo do ginásio com acesso ao lado da sala seis. Trata-se da GFT Portuguesa, que tem aulas de jiu-jitsu, muay thai, boxe e treinamento funcional, de segunda a sexta, em diversos horários.

Os 20 de Ouro fecham o carnaval de rua - O bloco “Os 20 de Ouro do Mestre Odilon”, desfilou no sábado (16), encerrando as comemorações do carnaval de rua, na Ilha. O bloco fundado em 2016, desfilou pelo terceiro ano e atraiu cerca de 1500 foliões, segundo a Guarda Municipal. A concentração foi na Estrada Rio Jequiá, altura do Posto de Saúde Necker Pinto, e o desfile seguiu até a Praça Iaiá Garcia, na Ribeira.

Projeto Casas da Noruega faz 10 anos - Snorre e jogadores comemoram a vitória da Norway Cup

RioGaleão forma Monitores Ambientais - A RioGaleão, concessionaria que administra o Aeroporto do Galeão, realizou no na quinta(14), a formatura da turma que concluiu em 2018 o Projeto Conexão Escola. Mais de 70 pessoas, entre crianças, familiares e representantes do Aeroporto Internacional Tom Jobim compareceram à apresentação que certificou alunos como Monitores Ambientais.

Obra lenta prejudica motoristas - As obras do Programa Favela Bairro, que vão beneficiar um total de 12 mil moradores da Vila Joaniza, tem causado transtorno aos motoristas na Estrada do Galeão. Desde meados de 2018, a empresa Volume, contratada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação (SMIH), realiza intervenções do trecho desde a Prefeitura da Aeronáutica até a loja do Casa Show, para implantação de uma rede coletora de esgoto da comunidade que terá destino final a Estação de Tratamento da Cedae no Tauá.

Empreendimento gera protesto na Ribeira - A construção de um condomínio no terreno onde era a Fazenda do Cabaceiro, localizada na Ribeira, foi alvo de uma manifestação realizada no sábado (9), na rua em frente ao empreendimento imobiliário e contou com a presença de um grupo de moradores da região. Os manifestantes condenaram a derrubada de 74 árvores na área da fazenda e consideram ilegal a construção de um condomínio com dois prédios num total de 48 apartamentos.


Edição 1929
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras