Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Horto do Fundão é fonte de pesquisas

14/09/2018 - noticias /Edição 1902
O Horto Universitário, localizado na Ilha do Fundão, foi criado há quase três décadas pela prefeitura da UFRJ e conta com 26 mil metros quadrados. Inicialmente era destinado para atender os projetos paisagísticos desenvolvidos na Cidade Universitária e agora também atende demandas ambientais de outras regiões.

A área tem como foco a produção de insumos para a manutenção das áreas verdes do Fundão e para as pesquisas de profissionais da botânica, ecologia e gestão ambiental. O espaço se transforma em sala de aula para as disciplinas práticas da universidade e conta com um borboletário para visitação do público em geral. 

A preocupação da prefeitura universitária é o desenvolvimento e a execução de projetos que visem a melhoria da qualidade de vida dos universitários e dos moradores do Fundão, através de atividades sustentáveis no aspecto ambiental e econômico, além de estimular as pessoas a adotarem este tipo de comportamento consciente. Para isso, o Horto promove eventos gratuitos e abertos ao público.

— O Horto é uma iniciativa bastante interessante que mostra a preocupação da universidade e dos alunos com o meio ambiente, estimulando as pesquisas. Tenho costume de frequentar o local para apreciar as belas plantas. Ponto positivo para a UFRJ — aprova o estudante de Astronomia, Jackson de Farias. 
Entre as principais atividades desenvolvidas pelo Horto, estão a responsabilidade pela arborização de todos os campi da UFRJ e a recuperação da Mata Atlântica na
Península do Catalão, localizada também na Cidade Universitária. 

Para conhecer o Horto do Fundão, o interessado deve se dirigir ao mesmo endereço da prefeitura da Cidade Universitária, na Praça Jorge Machado Moreira, 100, A visitação é gratuita e pode ser feita de segunda a sexta das 9h às 18h. Informações: 3938-9334.




Veja Também

Aulas de Jiu-jitsu e Muay Thai na Lusa - A Associação Atlética Portuguesa abre as portas para os fãs de artes marciais e em parceria com o lutador de MMA, Leandro Popeye, instalou uma Academia de Lutas no subsolo do ginásio com acesso ao lado da sala seis. Trata-se da GFT Portuguesa, que tem aulas de jiu-jitsu, muay thai, boxe e treinamento funcional, de segunda a sexta, em diversos horários.

Os 20 de Ouro fecham o carnaval de rua - O bloco “Os 20 de Ouro do Mestre Odilon”, desfilou no sábado (16), encerrando as comemorações do carnaval de rua, na Ilha. O bloco fundado em 2016, desfilou pelo terceiro ano e atraiu cerca de 1500 foliões, segundo a Guarda Municipal. A concentração foi na Estrada Rio Jequiá, altura do Posto de Saúde Necker Pinto, e o desfile seguiu até a Praça Iaiá Garcia, na Ribeira.

Projeto Casas da Noruega faz 10 anos - Snorre e jogadores comemoram a vitória da Norway Cup

RioGaleão forma Monitores Ambientais - A RioGaleão, concessionaria que administra o Aeroporto do Galeão, realizou no na quinta(14), a formatura da turma que concluiu em 2018 o Projeto Conexão Escola. Mais de 70 pessoas, entre crianças, familiares e representantes do Aeroporto Internacional Tom Jobim compareceram à apresentação que certificou alunos como Monitores Ambientais.

Obra lenta prejudica motoristas - As obras do Programa Favela Bairro, que vão beneficiar um total de 12 mil moradores da Vila Joaniza, tem causado transtorno aos motoristas na Estrada do Galeão. Desde meados de 2018, a empresa Volume, contratada pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Habitação (SMIH), realiza intervenções do trecho desde a Prefeitura da Aeronáutica até a loja do Casa Show, para implantação de uma rede coletora de esgoto da comunidade que terá destino final a Estação de Tratamento da Cedae no Tauá.

Empreendimento gera protesto na Ribeira - A construção de um condomínio no terreno onde era a Fazenda do Cabaceiro, localizada na Ribeira, foi alvo de uma manifestação realizada no sábado (9), na rua em frente ao empreendimento imobiliário e contou com a presença de um grupo de moradores da região. Os manifestantes condenaram a derrubada de 74 árvores na área da fazenda e consideram ilegal a construção de um condomínio com dois prédios num total de 48 apartamentos.


Edição 1929
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras