Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Aparu do Jequiá completa 25 anos

06/09/2018 - noticias /Edição 1901
Maior região de manguezal protegido da cidade, a Área de Proteção Ambiental e Recuperação Urbana (Aparu) do Jequiá, completou 25 anos no último dia 31. A data foi festejada com atividades educativas organizadas pela Subscretaria de Meio Ambiente e moradores da Colônia Z-10.
 
A necessidade de preservar a área de mangue da região, às margens da Baía da Guanabara, fez com que a prefeitura criasse em 1993 o projeto Aparu do Jequiá. O papel do município é regulamentar o uso e ocupação do solo, além da restauração das condições ecológicas e urbanas na área de 147 hectares, que inclui o Manguezal do Jequiá, um espaço remanescente de Mata Atlântica, o Morro do Matoso, sambaquis e a Colônia de Pesca Z-10.
 
Durante o evento, que contou com a presença do superintendente da Ilha, Daniel Balbi; do administrador regional, Márcio Pimenta e do comandante do 17°BPM, Ten. Cel. Marcelo Menezes, as escolas da rede municipal de ensino, Cuba e GEO Nelson Prudêncio, levaram grupos de alunos com idade de seis a 15 anos para participar das atividades de cunho ambiental e apresentar trabalhos escolares, cujo tema foi o meio ambiente.
 
Antigos moradores da Z-10 contam que antes mesmo de a Aparu ter sido instituída, os moradores da vila de pescadores já buscavam medidas de proteção ao Manguezal do Jequiá. Nascido e criado na Colônia, Ricardo Tavares, é um desses. Ele acredita que houve avanços com a chegada da Aparu e do Centro de Educação AMbiental (CEA), que recebeu recentemente do município brinquedos ecológicos, para ajudar nas diversas atividades para preservar o mangue e torná-lo mais acessível, principalmente para o público infantil. 
 
— Não adianta ter apenas o mobiliário. A prefeitura nos últimos anos está tendo um olhar diferenciado para a causa, tentando engrenar para que as coisas aconteçam. O trabalho realizado no Centro de Educação engloba a conscientização, especialmente para as crianças que são o futuro do país, e isso é muito importante — disse Ricardo.



Veja Também

Horto do Fundão é fonte de pesquisas - O Horto Universitário, localizado na Ilha do Fundão, foi criado há quase três décadas pela prefeitura da UFRJ e conta com 26 mil metros quadrados. Inicialmente era destinado para atender os projetos paisagísticos desenvolvidos na Cidade Universitária e agora também atende demandas ambientais de outras regiões.

Double You se apresenta na Patin House 19 de outubro - Em comemoração ao primeiro ano do retorno do show Patin House Retrô, a Associação Atlética Portuguesa prepara um grande evento para ficar na história da Ilha do Governador. Será no dia 19 de outubro, às 21h, e além da mega estrutura de som e luz, o evento conta com apresentações dos Dj’s Márcio Maesse e Alexandre Sampaio. Mas a grande atração é o cantor britânico, William Naraine, vocalista da banda “Double You”, dono de sucessos desde a década de 90 que animam as grandes festas até os dias de hoje.

Ciasc abraça 500 jovens da região - Com a presença do Ministro do Esporte, Leandro Cruz, a Marinha do Brasil realizou no Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (Ciasc), a cerimônia de abertura das atividades do 5º Núcleo do Programa Forças no Esporte (Profesp) no Estado do Rio de Janeiro. O evento foi na manhã da quarta (12).

Martinho é craque em frutos do mar - Inaugurado em 2007, o Restaurante Petisqueira Martinho é uma empresa familiar instalada no bairro da Ribeira e especializada em frutos do mar. Se destaca na culinária insulana pela qualidade e diversidade de pratos e petiscos.

Serviços da Light são ruins na Ilha - Moradores de diversos bairros da região sofrem com os serviços prestados pela Light na Ilha do Governador. Embora a empresa alegue melhoria na qualidade de distribuição de energia elétrica, nos últimos anos, os insulanos sentem no bolso, em casa e nas suas empresas, os prejuízos causados pela falta de energia, picos de luz e, principalmente, cobranças indevidas.


Edição 1902
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras