Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

A Mãe e matriarca de cinco gerações

11/05/2018 - noticias /Edição 1884
A Ilha do Governador esconde personagens pitorescos com histórias de vida impressionantes e que inspiram. A insulana Celina Barbosa é um desses personagens inspiradores. Com 103 anos ela se dedica desde a infância ao trabalho e se orgulha de ter criado duas filhas, os cinco netos, os dezoito bisnetos, nove trinetos e o primeiro tetranetos.
 
Nascida na cidade de Araruama em 15 de fevereiro de 1915, Celina se mudou, com a mãe Luisa Barbosa, para a região aos 5 anos de idade. Da infância ela lembra que a maioria dos lugares da Ilha eram apenas matagal e barro. Desde pequena começou a trabalhar, nunca foi à escola e até hoje é analfabeta.
 
— Quando cheguei aqui com a minha mãe, minhas tias já me colocaram para trabalhar em casa de família. Os meus irmãos foram para a escola e eu sempre pedia para ir, queria muito estudar, mas minhas tias falavam que meu lugar era com a lata d’agua na cabeça. Eu morava lá na Grota, um terreno de chão de barro e vi todo o início desta comunidade.
 
Celina teve duas filhas Francelina Santos  e Maria Luisa que faleceram antes dos 50 anos, e ela foi criando os cinco netos como uma mãezona. “Foi muito difícil perder as minhas filhas. Até hoje eu sinto saudades, mas eu não podia me deixar vencer, tinha essa meninada toda pra criar. Até hoje eles são a minha alegria, minha família e o bem mais precioso que tenho.” 
Na década de 60, ao voltar de um dia de trabalho e com muita chuva, sua casa desmoronou e por pouco não a levou junto. “Tive que recomeçar tudo do zero, foi um momento difícil, mas nunca fiquei desamparada, pois meu marido e eu tínhamos muitos amigos que nos ajudaram.”
A matriarca tem orgulho de suas origens de sangue africano e acredita que é dai que vem toda a sua força. “Meu avô foi escravo e trabalhou metade da vida em uma senzala. Minha avó, também escrava, servia a família Real, diretamente a princesa Isabel. Mais tarde, com a Lei Aúrea, ganhou das mãos dela a alforria.”
O neto mais velho Jorge Luis, 64, tem orgulho de ter sido criado pela avó, que até hoje ela lhe ensina muitas coisas. “As pessoas se surpreendem, pois ela é lúcida e cheia de disposição. Quer cozinhar pra todo mundo, gosta de brincar com as pessoas que passam na rua, tem uma vida muito alegre e ainda é fã de uma cachacinha " disse Jorge.
 
Sobre o segredo da longevidade e de toda a disposição Celina garante: “A fidelidade a Deus! Sem Ele eu não chegaria até aqui”. Celina ficou viúva aos 85 anos e a única tristeza em tanto tempo de vida é a saudade de todos que já viveram ao seu lado.
 
A melhor lembrança da região são os bailes de forró durante a adolescência e a amizade com o detetive Chagas da 37ª DP que a ajudou quando ficou desempregada por um período e a colocou para trabalhar em sua casa. Celina adora quando o bisneto Wallace a leva para eventos no Clube dos Sargentos. Atualmente é a sua maior diversão. 
 
Matriarca de cinco gerações, que já viveu grandes momentos da humanidade e todas as transformações do mundo industrial e tecnológico, Celina dedicou a vida ao trabalho e a criação dos filhos de sangue e do coração. Para registrar o Dia das Mães deste ano, o Ilha Notícias escolheu um exemplo de mulher e mãe batalhadora. Com 103 anos de idade é exemplo pela serenidade, carinho e responsabilidade com a sua família.
 
Parabéns, dona Celina!!!




Veja Também

Radar vai identificar poluição na baía - Um radar marítimo de fabricação norueguesa está sendo desenvolvido e adaptado por pesquisadores da Coppe UFRJ e da UFF com a finalidade de reduzir os impactos ambientais na Baía de Guanabara. O sistema consegue detectar com precisão a localização de resíduos despejados nas águas da baía, facilitando e agilizando as ações para reduzir os impactos ambientais. A prioridade é instalar o sistema nas regiões portuárias, para também identificar possíveis vazamentos de óleo das embarcações.

Lusa é o clube que mais cresce na Ilha - A Associação Atlética Portuguesa não para de crescer na região e aos 94 anos de fundação, o clube investe para proporcionar bem estar aos seus associados e visitantes, especialmente à criançada e a turma da melhor idade. Com mensalidades acessíveis e aberto de terça a domingo, a Portuguesa oferece atividades físicas, de lazer e entretenimento para a região.

ONG Solidariedade completa 15 anos - O Grupo da Solidariedade é uma entidade sem fins lucrativos, idealizado e fundado pela professora insulana Fátima Vasconcellos, em 2003. Em setembro, o Solidariedade completou quinze anos e se destaca como uma das instituições mais atuantes e sérias da cidade, atendendo gratuitamente centenas de famílias da região.

Contenção desmorona na Praia da Rosa - A calçada da Praia da Rosa, a partir do Estaleiro Eisa no trecho que vai até a Rua Manoel Pereira da Costa, está praticamente destruída e com muita sujeira. Parte do muro de contenção caiu, devido a ação das marés, e levou junto diversos pedaços da calçada, tornando impossível transitar por conta de buracos e o estacionamento irregular de carros.

Veja a votação dos candidatos da Ilha - Durante quatro edições o Ilha Notícias publicou a foto e um resumo das propostas de 12 candidatos a Deputado Federal e de 13 candidatos a Deputado Estadual que vivem na Ilha. Apurados os votos nenhum deles conseguiu alcançar a quantidade suficiente para ser eleito. A votação ao lado do nome dos candidatos se refere à votação total obtida em todas as urnas do Estado.

Crise naval mantém Eisa fechado - Enferrujando nas águas da Baía de Guanabara, três navios são o símbolo da crise que quebrou o Estaleiro Eisa. Os navios fazem parte de encomendas ao estaleiro, que por falta de pagamento ou quebra de contrato, tiveram a construção suspensa, gerando prejuízos sem precedentes para o estaleiro. Atualmente a empresa, passa por recuperação judicial e tenta se reerguer.


Edição 1906
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras