Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Djalma Falcão é eleito presidente da União e valoriza as pratas da casa

13/04/2018 - noticias /Edição 1880
Djalma Carneiro Leão Falcão, conhecido como Djalma Falcão, de 65 anos, nasceu em Laranjeiras, na Zona Sul e na infância frequentava a Ilha do Governador, onde a família tinha uma casa de veraneio. Naquele tempo o menino Djalma aproveitava para jogar bola, brincar e andar de bicicleta. 

Aos sete anos, a família se mudou para a Ilha e Djalma não saiu mais da região. Ele se considera um insulano nato. 

A história de Djalma com a União da Ilha é antiga. Começou em 1974 quando ele assumiu o cargo de chefe de ala e desde então nunca mais deixou de estar envolvido com a escola, passando por diversos setores como a ala dos compositores e os últimos dez anos como vice-presidente da escola. No domingo (8), ele foi eleito, por aclamação, presidente da União da Ilha com o recorde de 330 votos e ficará à frente da escola até 2021. 

Djalma viveu diversos momentos na agremiação e chegou a ajudar na confecção das fantasias da comunidade na antiga quadra da Rua Copiúva,  continuou atuando até hoje na nova quadra, na Estrada do Galeão, que é considerada a melhor do grupo especial.

Para o presidente Djalma, outro momento marcante foi quando a escola voltou ao grupo especial em 2009 com o enredo “Viajar é Preciso - Viagens Extraordinárias Através de Mundos Conhecidos e Desconhecidos”, assinado pelo carnavalesco Jack Vasconcelos. 

— Foi inesquecível! Com muito trabalho e foco conseguimos voltar para onde nunca deveríamos ter saído. Na época quebramos o tabu que existe sobre o pouco tempo de permanência no grupo especial, de uma escola que veio do acesso, e hoje, anos depois, continuamos no grupo especial — disse emocionado. 

Para lutar por uma boa colocação no próximo carnaval, Djalma tem como proposta principal investir na valorização dos “pratas da casa”, colocando pessoas que há anos estão envolvidas com a agremiação para comandar alguns segmentos como o da bateria, que agora terá uma comissão formada pelos experientes Keko Araújo, Marcelo Santos, Augusto Cesar Divino e Mauricio Baterilha. 

Djalma adiantou que a comissão de frente será comandada pelo professor de dança Leandro Azevedo, que há seis anos coreografa alas da escola. O carnavalesco Severo Luzardo e a rainha da bateria Gracyanne Barbosa, continuam na escola.

Outras mudanças estão sendo estudadas e entre elas, a criação de comissões de harmonia e direção de carnaval que, de acordo com o presidente Djalma, tem como o objetivo colocar pessoas que conheçam e entendam muito bem a União da Ilha por estarem há anos na agremiação como os chefes de ala. 

— A diretoria deve contratar uma pessoa para harmonia e outra para direção de carnaval, mas não quero que eles trabalhem sozinhos. Nosso objetivo é criar uma comissão para que em conjunto com essas pessoas que conhecem bem a União consigam desenvolver um excelente carnaval — disse Djalma. 

O enredo para o carnaval de 2019 está sendo estudado. A escola busca um enredo patrocinado, levando em conta a perspectiva de poucos recursos para desenvolver o carnaval, depois da redução de verbas da prefeitura.

Segundo Falcão, os horários dos ensaios também devem mudar por causa do alto índice de violência na cidade. As pessoas estão deixando de sair à noite por causa do medo, principalmente o público de fora da Ilha, que é obrigado a passar por vias expressas perigosas. 




Veja Também

Radar vai identificar poluição na baía - Um radar marítimo de fabricação norueguesa está sendo desenvolvido e adaptado por pesquisadores da Coppe UFRJ e da UFF com a finalidade de reduzir os impactos ambientais na Baía de Guanabara. O sistema consegue detectar com precisão a localização de resíduos despejados nas águas da baía, facilitando e agilizando as ações para reduzir os impactos ambientais. A prioridade é instalar o sistema nas regiões portuárias, para também identificar possíveis vazamentos de óleo das embarcações.

Lusa é o clube que mais cresce na Ilha - A Associação Atlética Portuguesa não para de crescer na região e aos 94 anos de fundação, o clube investe para proporcionar bem estar aos seus associados e visitantes, especialmente à criançada e a turma da melhor idade. Com mensalidades acessíveis e aberto de terça a domingo, a Portuguesa oferece atividades físicas, de lazer e entretenimento para a região.

ONG Solidariedade completa 15 anos - O Grupo da Solidariedade é uma entidade sem fins lucrativos, idealizado e fundado pela professora insulana Fátima Vasconcellos, em 2003. Em setembro, o Solidariedade completou quinze anos e se destaca como uma das instituições mais atuantes e sérias da cidade, atendendo gratuitamente centenas de famílias da região.

Contenção desmorona na Praia da Rosa - A calçada da Praia da Rosa, a partir do Estaleiro Eisa no trecho que vai até a Rua Manoel Pereira da Costa, está praticamente destruída e com muita sujeira. Parte do muro de contenção caiu, devido a ação das marés, e levou junto diversos pedaços da calçada, tornando impossível transitar por conta de buracos e o estacionamento irregular de carros.

Veja a votação dos candidatos da Ilha - Durante quatro edições o Ilha Notícias publicou a foto e um resumo das propostas de 12 candidatos a Deputado Federal e de 13 candidatos a Deputado Estadual que vivem na Ilha. Apurados os votos nenhum deles conseguiu alcançar a quantidade suficiente para ser eleito. A votação ao lado do nome dos candidatos se refere à votação total obtida em todas as urnas do Estado.

Crise naval mantém Eisa fechado - Enferrujando nas águas da Baía de Guanabara, três navios são o símbolo da crise que quebrou o Estaleiro Eisa. Os navios fazem parte de encomendas ao estaleiro, que por falta de pagamento ou quebra de contrato, tiveram a construção suspensa, gerando prejuízos sem precedentes para o estaleiro. Atualmente a empresa, passa por recuperação judicial e tenta se reerguer.


Edição 1906
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras