Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Aulas de capoeira ensinam cidadania

19/05/2017 - noticias /Edição 1833
Atuando há mais de 20 anos como mestre de capoeira, o professor Rubem do Nascimento, realiza aulas para crianças e adultos de diversas comunidades da Ilha através do projeto Senhor dos Céus, que funciona no Salão de Festas do Condomínio Santos Dumont. 
 
Ex-menino de rua quando vivia na Bahia, o professor Rubem chegou à Ilha em 1996 e viu a capoeira transformar sua vida. Hoje com 35 anos transmite aos seus alunos a experiência que adquiriu e explica um pouco das virtudes dos praticantes do esporte. 
 
— Eu tive uma infância complicada, mas encontrei na capoeira meu porto seguro. A capoeira é uma forma de educar as crianças e ajuda muito a gastar energias. Esse esporte faz bem para saúde e ensina disciplina e cidadania para os praticantes. Tenho a plena certeza que a capoeira é um esporte de alta inclusão social — disse o professor, que conta com alunos das comunidades do Guarabu, Parque Royal, Praia da Rosa e Dendê. 
 
Na capoeira, segundo mestre Rubem, não basta apenas levantar as pernas. Ele ensina aos alunos a cantar, tocar os instrumentos e dançar dentro das diversas modalidades existentes, como o makulelê, samba de roda, a puxada de rede e a colheita estilos que fazem parte da cultura dos escravos, de onde surgiu o jogo de capoeira. 
Segundo Roberval Costa, pastor evangélico e pai do Josué Bimba, 13, a capoeira não necessariamente é ligada ao espiritismo e sente-se feliz em trazer seu filho para as aulas do projeto Senhor dos Céus.
— Eu vejo a capoeira como um fator de inclusão social e também como esporte. Alguns dizem que a capoeira provém do espiritismo, o que não necessariamente é verdade. Hoje eu vejo a felicidade que meu filho tem em querer estar aqui e jogar capoeira e sinto que o projeto pode crescer cada vez mais e mais. A história do professor é excelente, o esporte o tirou de uma vida desregrada e este projeto segue o mesmo caminho — falou o pastor.
As aulas são realizadas as terças e quintas, das 20h às 21h, e contam com alunos de ambos os sexos e de todas as idades. Os interessados em aprender capoeira no projeto Senhor dos Céus podem obter informações com o mestre Rubem nos dias de aula no salão social do Condomínio Santos Dumont.




Veja Também

Portuguesa estreia na Taça Rio nesta segunda - Após 14 dias de intensos treinamentos, a Portuguesa volta a campo para a disputa da Taça Rio, segundo turno do Campeonato Carioca, nesta segunda (19), às 19h30h, no Estádio Raulino Oliveira, contra o Volta Redonda.

Animação marcou o carnaval infantil da Lusa - Novamente a Associação Atlética Portuguesa levou alegria aos seus associados e visitantes. O Clube abriu suas portas para realizar o tradicional carnaval nos dias 11, 12 e 13, com matinês que contaram com a presença de centenas de famílias insulanas, que se divertiram intensamente nos três dias de folia.

Carnaval do Cocotá foi animado - O Carnaval do Cocotá começou no sábado (10) e foi até a terça (13) e animou os dias de folia dos insulanos. Com diversas atrações e um clima familiar, a festa contou com entretenimento para pessoas de todas as idades e buscou resgatar o tradicional carnaval, com brincadeiras e marchinhas. A festa foi organizada pela Federação das Associações de Moradores da Ilha e contou com cerca de 15 barracas instaladas perto da sede da Famig, no aterro do Cocotá.

Carnaval do Cacuia voltou para ficar - O Carnaval do Cacuia voltou esse ano e fez a alegria de milhares de insulanos de sábado até a terça de carnaval. O evento foi animado e predominou as marchinhas tradicionais, apresentação de grupos fantasiados e os bate-bolas.

Vermelho e Branco arrastou 15 mil foliões com a alegria de ser criança - O Bloco Vermelho e Branco da Colônia Z-10 levou ao delírio os 15 mil foliões que no domingo (11) acordaram cedo e foram acompanhar o desfile. Este ano, o gigante da Ilha, como é também conhecido o bloco, trouxe um enredo nostálgico sobre a alegria em ser criança e distribuiu doces para a meninada.

Batuke de Batom anima a Ribeira - O Bloco Batuke de Batom levou diversão a milhares de foliões que se concentraram na Praça Iaiá Garcia, na Ribeira, no final da manhã de terça (13). Com o enredo "Batukeiros do Mal, os Vilões do Carnaval", assinado pela carnavalesca Priscilla Pereira, o bloco falou sobre o preconceito com a festa de carnaval.


Edição 1872
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras