Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Manoel descobriu a magia do cuscuz

11/01/2019 - gente-da-ilha /Edição 1919
Ele já foi ajudante de pedreiro, segurança no aeroporto e trabalhou em banco. Mas, Seu Manoel, ganha a vida mesmo, há 30 anos, vendendo um delicioso cuscuz doce em frente à loja das Casas Bahia, no Cacuia. De segunda a sexta, Manoel acorda cedo e com ajuda da esposa apronta o tabuleiro de cuscuz que começa a ser vendido às 11h. 
 
O segredo do sucesso revela sem problemas. Diz que para manter a mesma qualidade todos os dias é preciso trabalhar com empenho, como um bom nordestino. Nascido no sertão de Pernambuco, desde cedo, Manoel aprendeu que para vencer na vida é preciso se esforçar. Seus pais Mariano e Deolinda, ensinaram os principais valores da vida, entre eles, um que carrega com orgulho que é a honestidade. 
 
Como era costume da época, Manoel não demorou muito para casar. Aos 19 anos, ainda no nordeste, encontrou em Ana Paulino o amor de sua vida, e essa paixão já ultrapassa 50 anos. O amor deu frutos e o casal tem três filhos: José Mariano, 47 Edna Maria, 46 e Leandro Mariano, 38.
 
— Vivíamos uma realidade diferente da que temos hoje. Ana foi o único amor da minha vida e isso me orgulha. Temos uma família bela com filhos já criados.
 
Aos 22 anos, Manoel veio para o Rio de Janeiro com a família para tentar uma vida melhor e ao chegar na cidade maravilhosa percebeu que também por esses lados a vida não era tão fácil, como diziam no sertão de Pernambuco. Depois de algumas tentativas, conseguiu se firmar no antigo Unibanco.
 
— Vim esperando uma vida melhor e encontrei mais dificuldades. Tive que perseverar e lutar bastante para garantir o sustento da família. Quando consegui emprego no banco foi uma alegria. Comunicava-me com meus outros familiares de Pernambuco por cartas falando que trabalhava em um grande banco. Só omitia que era como faxineiro — brinca Manoel.
 
No inicio da década de 90, ele sentiu a necessidade de completar a renda familiar. Foi aí que ao ver o sucesso de vendas de um amigo próximo a família, decidiu pegar as receitas e começou a vender cuscuz no bairro do Cacuia. Inicialmente não tinha lugar fixo. Andava pelo Cacuia em busca de clientes.  O sabor fez toda diferença, o negócio prosperou e continua firme. 
 
— A situação econômica dos últimos anos foi sentida por mim, mas nada que abalasse minha força de vontade e a confiança no futuro e no meu produto. Faça sol ou chuva, estou com minha carroça atrás do ponto de ônibus esperando o próximo cliente com alegria e bom humor. 
 
Conhecido por todos do Cacuia, Manoel, que é morador do Jardim Carioca, se destaca pelo jeito trabalhador e honesto que leva a vida. É um homem sério e que está sempre disposto a vencer um leão por dia. Tornou-se um modelo de bom cidadão. É Gente da Ilha!




Veja Também

Padre Valmir conquista a Ilha - Carisma, alegria e bom humor são algumas das virtudes do Padre Valmir, que há cinco anos conquista fiéis na capela de Nossa Senhora das Graças, localizada na Vila dos Oficiais da Aeronáutica, do Galeão. Com uma comunicação moderna que toca a sensibilidade dos corações cristãos, ele mudou a rotina da capela, que hoje recebe cerca 400 fiéis nas missas, muito além da capacidade de 100 lugares.

Nascimento é exemplo de cidadão - Com oito décadas de vida, festejados no início de novembro, Jorge Nascimento é um insulano alegre, de bom coração e um grande fazedor de amigos. Casado há 52 anos com Maria Viana, ele chegou à Ilha em 1969, para morar na da Portuguesa, de onde não saiu mais, e acompanhou toda evolução do bairro durante esses anos.

O pediatra que todos gostam - O insulano de coração Joaquim Pinheiro Soares, 70, tem a sua história de vida ligada à medicina, especialmente aos cuidados com as crianças. Pediatra, Joaquim nasceu no Catumbi, onde passou 27 anos até se mudar em para a Ilha do Governador, região que ele abraçou e se dedica há mais de 20 anos, no atendimento do Hospital Paulino Werneck referência de eficiência.

Pedro, o craque no futebol de botão - Nascido em Muritiba, no interior da Bahia, desde cedo, Pedro Carlos, conhece às dificuldades impostas pela vida. Logo aos oito anos embarcou em um ônibus sozinho rumo ao Rio de Janeiro ao encontro de sua mãe Joselita Silva no carnaval de 1962. Com o endereço errado, ficou um mês na casa de um senhor que lhe acolheu perdido na rua até encontrar a mãe.

Malaguetta é referência em qualidade - Nascido e criado em Cascadura, Robson Olímpio, 43 anos, chegou à Ilha do Governador em 2002 e foi morar no Jardim Guanabara. Ele credita aos pais Romildo Cordeiro e Glória Olímpio, a postura, vontade de trabalhar e a seriedade. Não esconde as dificuldades vividas na infância ao lado dos seus irmãos mais velhos Marcelo e Márcia. Mas, determinado a vencer e com os bons exemplos de casa, estudou e se preparou para se tornar um empreendedor de sucesso.


Edição 1919
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras