Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Célia é a tradição em cestas na Ilha

06/07/2018 - gente-da-ilha /Edição 1892
A insulana Célia Félix se destaca na região há mais de vinte anos preparando bonitas cestas de café da manhã. Atenciosa e perfeccionista, ela é conhecida como Célia Cestas e monta com muito carinho cestas para todas as ocasiões com doces, salgados, biscoitos, sanduíches, frios variados e pães diversos, que encantam os insulanos. 

Nascida no Hospital Paulino Werneck, Célia morou a infância e adolescência no Guarabu sob os carinhos e cuidados da mãe Odete, a quem ela guarda os melhores sentimentos e tem como exemplo e admiração. Com muita luta, a mãe garantiu uma infância tranquila e com os estudos em dia. Célia estudou na Escola Municipal Holanda, no Guarabu, e concluiu o ensino médio cursando o turno da noite no antigo Colégio Óperon, atual Tia Lavour, enquanto trabalhava como vendedora durante o dia e estudava inglês. 

— Eu recordo com alegria dos meus tempos de infância e principalmente do esforço que minha mãe fez por mim, já que nunca tive um pai presente. A Ilha sempre se destacou por ser um lugar bom de morar e foi aqui que cresci e me preparei para encarar a vida – conta Célia. 

A identificação com o ramo de cestas para café da manhã começou na década de 80. E foi com um presente para o marido que tudo aconteceu. Na época, Célia resolveu presenteá-lo com uma cesta. O marido adorou o presente e Célia adorou montar. A partir daí, ela foi presenteando amigos e parentes. O retorno foi sempre muito positivo e decidiu investir no ramo como um negócio. 

Ela trabalhou duro por dez anos e quando os resultados estavam muito positivos teve que abandonar a atividade devido a transferência do marido para Araruama. Lá ela tentou emplacar o mesma atividade comercial, além de adicionar serviços de telemensagens para todas as ocasiões. Mas foi surpreendida com a melhor notícia que já recebeu na vida: o nascimento dos filhos Pedro Henrique e Victor Manoel, gêmeos que hoje possuem 13 anos. 

Célia resolveu interromper por um tempo o trabalho e se dedicou a criação dos filhos. Depois de oito anos em Araruama, a família voltou para a Ilha e recomeçaram a vida. E chegaram perto do Dia das Mães, considerado por Célia, o melhor momento para a venda de cestas de café da manhã. O empreendimento então bombou de vez e ela continua até hoje e prosperando a cada dia que passa. 

— Eu gosto muito do que faço. Esse é meu diferencial. Gosto de trabalho manuais e me envolvo com cada encomenda. Tenho um lema desde que entrei nesse ramo, que é buscar vender para o cliente o que eu compraria para mim. Busco exaustivamente a perfeição e por isso vem a recompensa do meu trabalho — conta Célia. 

Há mais de 20 anos no ramo das cestas, a Célia Cestas, como se tornou conhecido o negócio, opera entregando em domicílio para todo o Rio de Janeiro. Ela é grata aos amigos e clientes que acreditam e gostam do seu trabalho. “O feedback dos clientes é bastante positivo e isso serve como combustível todos os dias para eu manter o comércio firme e forte. Chego a me emocionar quando recebo elogios”.

Dedicada, Célia Félix é exemplo de empreendedora que mantém uma linda tradição, vendendo belas cestas que levam bom gosto e alegria a quem recebe. Para encomendar uma, basta acessar a página do facebook Célia Cestas de Café da Manhã. Ou ligar para 99653-9462. 




Veja Também

O presidente do Vasco é insulano - Médico conceituado e presidente de um dos maiores clubes do Brasil, esse é um resumo do perfil do insulano Alexandre Campello, um sujeito educado e preparado, que desde janeiro de 2018 ocupa o cargo mais alto do Clube de Regatas Vasco da Gama. Aos 59 anos, ele vive uma vitoriosa história de que une a paixão de infância ao importante cargo que ocupa.

Catito prefere pescar piraúna na Baía - O galo nem sonhou em cantar e Francisco Roberto já está com o material de pesca dentro do barco e os remos nas mãos para navegar pelas águas da Baía de Guanabara, sempre por perto da orla da Ilha do Governador, em busca do sustento da família. Ele sai de madrugada e volta à noite quase sempre com o barco cheio de peixes. Catito, como é conhecido, é pescador experiente e vive há 50 anos da pesca comercial.

Um barbeiro à moda antiga no Moneró - O tradicional Salão Tubiacanga, localizado na Estrada de Tubiacanga, ao lado da Drogaria Mais Barato é onde o barbeiro Casimiro Del Rio trabalha há mais de 50 anos. Ele é o dono do salão e um craque da tesoura e da navalha cuja experiência faz a diferença para quem gosta de um serviço perfeito e bom papo.

Manoel descobriu a magia do cuscuz - Ele já foi ajudante de pedreiro, segurança no aeroporto e trabalhou em banco. Mas, Seu Manoel, ganha a vida mesmo, há 30 anos, vendendo um delicioso cuscuz doce em frente à loja das Casas Bahia, no Cacuia. De segunda a sexta, Manoel acorda cedo e com ajuda da esposa apronta o tabuleiro de cuscuz que começa a ser vendido às 11h.

Padre Valmir conquista a Ilha - Carisma, alegria e bom humor são algumas das virtudes do Padre Valmir, que há cinco anos conquista fiéis na capela de Nossa Senhora das Graças, localizada na Vila dos Oficiais da Aeronáutica, do Galeão. Com uma comunicação moderna que toca a sensibilidade dos corações cristãos, ele mudou a rotina da capela, que hoje recebe cerca 400 fiéis nas missas, muito além da capacidade de 100 lugares.

Nascimento é exemplo de cidadão - Com oito décadas de vida, festejados no início de novembro, Jorge Nascimento é um insulano alegre, de bom coração e um grande fazedor de amigos. Casado há 52 anos com Maria Viana, ele chegou à Ilha em 1969, para morar na da Portuguesa, de onde não saiu mais, e acompanhou toda evolução do bairro durante esses anos.


Edição 1929
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras