Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Duda, o especialista em bikes e motos

19/01/2018 - gente-da-ilha /Edição 1868
Nascido no Rio Grande do Sul, Sérgio Fetter, conhecido como Duda, chegou à Ilha em 1974 aos nove anos de idade junto com os pais Sérgio da Silva e Idaerna Filler para morar no Jardim Guanabara. Suas maiores recordações da infância e adolescência são os finais de tarde na Praia da Bica e os dias de semana que se divertia no Iate Clube Jardim Guanabara. 
 
— Sempre gostei da natureza e de praticar atividades físicas. Entrei para sócio do Iate um ano após chegar à região e foi lá que cresci. Estudei no excelente Colégio Capitão Lemos Cunha, instituição a qual me educou desde o primário — disse Duda.
 
A atividade com a oficina de bikes começou em dezembro de 1981, quando seu pai conseguiu uma concessão autorizada da Caloi e abriu uma loja na Rua Colina. No início era só para consertos de bicicletas, mas em 1995 ao se transferir para a loja da Rua Sargento João Lopes, começou também a trabalhar com motos e ciclomotores. A oficina se tornou referência na região e é a única que trabalha somente com veículos de duas rodas. 
 
A paixão por bicicletas começou no tempo que trabalhava na loja junto com o pai e aumentou ao ponto de Duda se dedicar ao ciclismo como atleta. Em 1985, Fetter se federou como ciclista pela Associação Atlética Portuguesa e disputou diversas corridas de estrada, montanha e circuitos, junto com o senhor Monteiro, diretor de ciclismo da Lusa. Ele só parou de competir devido a desorganização da federação de ciclismo na década de 90. 
 
Em 1994, Fetter fundou o grupo Ilha Moto Clube, que até hoje realiza, na última terça-feira de cada mês, encontros no quiosque Piratas Beach, na Praia da Bica. O objetivo do grupo é a confraternização entre apaixonados por motocicletas, e combinar viagens e eventos. 
Embora louco pelos esportes em duas rodas, Duda confessa gostar de jogar tênis, seu esporte favorito, e também pratica vôlei todo o final de semana na Praia da Bica. 
 
— Na verdade, até hoje, eu pratico tênis. É um esporte que me atraiu desde moleque e conquistei vários títulos individuais em campeonatos estaduais e cheguei a ser terceiro melhor jogador do país na categoria sub-15. E gosto de vôlei para descontrair.
 
O mês de fevereiro é especial para Duda. Apaixonado por carnaval ele desfila na Tribo do Cacuia, Vermelho e Branco da Colônia Z-10 e em mais 20 blocos da Ilha, tocando caixa. “É o melhor mês do ano para mim. Gosto de brincar o carnaval, sem responsabilidade e curtir o momento,” diz Duda, com um largo sorriso. 
 
Solteiro, Duda mora com o pai e o filho Renan de 18 anos em um apartamento no Moneró. Sobre a Ilha do Governador, ele relembra o passado, quando a população era menor e a região mais tranquila. Hoje, segundo ele, não é como antes, mas a Ilha ainda se destaca na cidade por ser um dos lugares mais aconchegantes e seguros. 
 
— Na Ilha me sinto em casa, seguro e protegido. Embora no último ano tenha aumentado os relatos de insegurança por aqui, não troco esse lugar por nenhum outro no Rio. Aqui é onde todo mundo me conhece, onde eu cresci como profissional e ser humano e, é aqui que vou ficar até o fim da minha vida”.
 
Sérgio Duda é esse bom sujeito com muitas histórias e dono da Duda Moto Bike, localizada na Rua Sargento João Lopes, 468, Jardim Carioca. Lá, além do atendimento personalizado, os clientes têm a garantia dos serviços de um profundo conhecedor das bikes e motos. É um sujeito firme de caráter e Gente da Ilha.




Veja Também

Manoel descobriu a magia do cuscuz - Ele já foi ajudante de pedreiro, segurança no aeroporto e trabalhou em banco. Mas, Seu Manoel, ganha a vida mesmo, há 30 anos, vendendo um delicioso cuscuz doce em frente à loja das Casas Bahia, no Cacuia. De segunda a sexta, Manoel acorda cedo e com ajuda da esposa apronta o tabuleiro de cuscuz que começa a ser vendido às 11h.

Padre Valmir conquista a Ilha - Carisma, alegria e bom humor são algumas das virtudes do Padre Valmir, que há cinco anos conquista fiéis na capela de Nossa Senhora das Graças, localizada na Vila dos Oficiais da Aeronáutica, do Galeão. Com uma comunicação moderna que toca a sensibilidade dos corações cristãos, ele mudou a rotina da capela, que hoje recebe cerca 400 fiéis nas missas, muito além da capacidade de 100 lugares.

Nascimento é exemplo de cidadão - Com oito décadas de vida, festejados no início de novembro, Jorge Nascimento é um insulano alegre, de bom coração e um grande fazedor de amigos. Casado há 52 anos com Maria Viana, ele chegou à Ilha em 1969, para morar na da Portuguesa, de onde não saiu mais, e acompanhou toda evolução do bairro durante esses anos.

O pediatra que todos gostam - O insulano de coração Joaquim Pinheiro Soares, 70, tem a sua história de vida ligada à medicina, especialmente aos cuidados com as crianças. Pediatra, Joaquim nasceu no Catumbi, onde passou 27 anos até se mudar em para a Ilha do Governador, região que ele abraçou e se dedica há mais de 20 anos, no atendimento do Hospital Paulino Werneck referência de eficiência.

Pedro, o craque no futebol de botão - Nascido em Muritiba, no interior da Bahia, desde cedo, Pedro Carlos, conhece às dificuldades impostas pela vida. Logo aos oito anos embarcou em um ônibus sozinho rumo ao Rio de Janeiro ao encontro de sua mãe Joselita Silva no carnaval de 1962. Com o endereço errado, ficou um mês na casa de um senhor que lhe acolheu perdido na rua até encontrar a mãe.

Malaguetta é referência em qualidade - Nascido e criado em Cascadura, Robson Olímpio, 43 anos, chegou à Ilha do Governador em 2002 e foi morar no Jardim Guanabara. Ele credita aos pais Romildo Cordeiro e Glória Olímpio, a postura, vontade de trabalhar e a seriedade. Não esconde as dificuldades vividas na infância ao lado dos seus irmãos mais velhos Marcelo e Márcia. Mas, determinado a vencer e com os bons exemplos de casa, estudou e se preparou para se tornar um empreendedor de sucesso.


Edição 1920
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras