Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Celso Celli é um talento do rock

06/10/2017 - gente-da-ilha /Edição 1853
Celso Celli é um desses casos de amor com o mundo da música que desde os cinco anos de idade já chamava atenção pela afinidade com instrumentos musicais e a voz afinada.

Nascido e criado na Ilha do Governador, Celso começou a sua carreira tocando em festivais escolares ainda na adolescência. Uma de suas primeiras apresentações foi na Escola Municipal Jornalista Orlando Dantas, nos Bancários. A maior inspiração foi sua mãe, Terezinha de Jesus, que era cantora de rádio, na época da Jovem Guarda. 

— Eu sempre cantava quando era criança e comecei a estudar violão aos 12 anos. Com 16 anos integrei a primeira banda e logo após comecei a trabalhar com a música. O apoio dos meus pais foi fundamental para a minha carreira e as conquistas.

Com estilo focado no rock in roll e fã dos Beatles, o insulano passou a fazer diversas apresentações como cover da banda, e no ano de 2000, conseguiu realizar o sonho de se apresentar no Cavern Club, local onde os meninos de Liverpool foram descobertos.

Celso é um dos fundadores da Banda Anjos da Noite e já viajou por quase todo o Brasil para tocar. Mas o insulano diz que tocar na Ilha é especial, e morar na região foi um diferencial que o ajudou a construir toda carreira como músico. 

- Sou apaixonado pela Ilha! O público insulano é muito especial, embora não tenha muitos amantes do rock, pois a galera segue principalmente os estilos da moda, mas, mesmo assim, tem gente que curte o bom som clássico das guitarras.

Uma das fases mais tristes de sua vida foi quando teve envolvimento com drogas. Diz que foi um período perigoso, mas que conseguiu superar a má fase e nunca mais voltou a se drogar. “Graças a Deus, essa é uma fase apagada da minha vida, não desejo isso a ninguém.”

O músico já teve outras profissões, como bancário, mas nunca ficou longe da música. Dedicou-se alguns anos à igreja e tinha parado de tocar secularmente, mas agora está de volta aos shows, eventos e bares, com a expectativa de fazer muito sucesso.

Atualmente, Celso dá aulas de guitarra e violão, além de fazer apresentações, nos fins de semana, no Restaurante Zamak, localizado na esquina da Estrada do Galeão com a Rua Astilbe e participa da Banda Mister T-Rex, que se apresenta em eventos pela região. 

Autor de músicas irreverentes, Celso é um insulano do bem, que acredita e luta por seus sonhos. Conhecido pelo timbre de voz diferenciado e solos de guitarra difíceis, é um artista e músico que entende que o sucesso é questão de paciência e dedicação. Por seu talento, trajetória de superação e caráter, Celso Celli é o destaque deste Gente da Ilha.




Veja Também

Dublê de Antônio Fagundes é da Ilha - Quem gosta de ouvir uma boa história, sem dúvidas, se tornaria amigo do insulano Jorge Salles. Morador da Tauá, Jorge tem uma interessante trajetória de vida que o tornam um personagem diferente no cotidiano insulano. Já aposentado, Jorge Salles (66) é dublê do ator Antônio Fagundes e já foi militar, bancário, taxista e até árbitro de futebol. Reúne competência, profissionalismo e, é claro, boas histórias para contar.

Célia é a tradição em cestas na Ilha - A insulana Célia Félix se destaca na região há mais de vinte anos preparando bonitas cestas de café da manhã. Atenciosa e perfeccionista, ela é conhecida como Célia Cestas e monta com muito carinho cestas para todas as ocasiões com doces, salgados, biscoitos, sanduíches, frios variados e pães diversos, que encantam os insulanos.

Sua bandeira é a luta pela ecologia - Sérgio Ricardo, 50, é um insulano engajado nas causas ecológicas e sociais da região e coordenador de diversos projetos em defesa da Baía de Guanabara, além de promover as feiras agroecológicas da Praia da Bica e da Igreja Batista no Moneró.

Ana Paula dá alma às bijuterias - Ana Paula, 49, nasceu na cidade de Miraí, zona da mata de Minas Gerais, e se considera uma mineira de alma insulana. Aos 18 anos veio para a Ilha do Governador e daqui não saiu mais, e nem pensa em sair. Ana é conhecida na região por participar de diversas ferinhas vendendo bijuterias artesanais. Em abril deste ano abriu uma loja física no Ilha Plaza Shopping.

Orgulho de ser insulano da gema - Paulo Henrique, 46, é morador da comunidade do Guarabu, e ganha a vida, há mais de quinze anos, vendendo deliciosas pipocas, na Rua Sargento João Lopes, em um ponto quase esquina com a Estrada da Cacuia, na calçada ao lado da loja Kazinha. O segredo do sucesso da sua pipoca ele não guarda. ”Tudo que é feito com amor é bom. E na minha pipoca esse ingrediente nunca falta”.

Antônio foi à guerra e venceu - Antônio é um empreendedor nato. Primeiro filho do casal Anibal Soares e Maria Augusta, ele herdou da família a Panificação Jardim Guanabara, a famosa Padaria do Anibal. Embora a relação com os pais fosse muito boa, a infância foi vivida em Portugal ao lado dos avós Abraão e Maria Augusta em uma aldeia.


Edição 1893
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras