Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Beta, um exemplo de mãe no INPS

12/05/2017 - gente-da-ilha /Edição 1832
Há 47 anos nascia no Hospital Municipal Paulino Werneck Elizabeth Maria, ou simplesmente Beta. Querida pelos moradores do INPS, essa insulana de berço tem orgulho de dizer que mora nos Bancários e que batalha pelos interesses da comunidade.  Quando alguém precisa, lá está ela, de braços abertos pronta para abraçar, aconselhar e, se for possível, resolver o problema sempre com muito amor no coração. 
 
Filha do casal Antônio e Iracema, Beta sempre morou na comunidade do INPS. Ela diz que a sua infância foi cheia de muitas brincadeiras pelas ruas do INPS, mas também com responsabilidade nos estudos, fruto de uma educação esplendida exigida pelos pais. 
 
— Eu costumo dizer que antigamente tínhamos infância de verdade. Dentro da comunidade, era aquele corre pra lá, corre prá, tudo que uma criança gosta de fazer. Por outro lado sempre fui muito cobrada na questão dos estudos. Meus pais exigiam que eu e meus outros irmãos tivéssemos bom desempenho na escola — falou Elizabeth, que estudou na Escola Municipal Orlando Dantas, onde até hoje mantém contato com amigos e professores que participaram de sua formação. 
 
Beta se destaca na comunidade por ser engajada nos projetos sociais. Ela disse que esse espírito em ajudar o próximo é uma herança do pai e seus irmãos, Jair, Gelson e Chico, que sempre foram os responsáveis pela organização do futebol na região e antigamente costumavam levar família toda para assistir os jogos do time do bairro. 
 
— Para onde o Independente ia jogar, eu iria atrás e sempre arrastava um monte de gente comigo. Fazíamos a torcida organizada dos nossos garotos e isso me tornou cada vez mais presente e ativa no dia-dia de toda a comunidade. Hoje eu batalho por cada criança, direitos das pessoas e espaços do INPS. Vou a todas as reuniões sociais, e luto pelos direitos dos moradores.
 
Beta tem quatro filhos, a Caroline, e os três “w”, Wesley, William e Wallace com quem mantém relações de cumplicidade e companheirismo. Na comunidade em que
mora, ela é conhecida também por ser a pessoa que organiza as festas juninas. 
 
— Eu gosto muito desse período do ano. Amo festa juninas e sempre organizava as quadrilhas típicas. Gosto tanto que cheguei a levar as quadrilhas daqui para as competições em outros bairros. Embora esteja afastada um pouco da parte das danças, jamais me nego a montar uma boa festa típica. Adoro festas.
 
Atualmente, Beta, ajuda os irmãos no Projeto Casa da Noruega, que no próximo mês vai levar atletas do futebol e do atletismo da comunidade para o país europeu.
 
Para ela o maior orgulho é ver as crianças e os jovens fora da criminalidade. “Quando vejo os alunos focados no futebol e no atletismo, fico muito contente. É sinal que o trabalho que ajudo a fazer com tanto amor está dando certo. É orgulho estar no aeroporto e ver seus meninos no caminho certos indo buscar desafios através do esporte fora do Brasil.”
 
Beta é uma mãezona para todos e continua firme, forte e com o coração cheio de amor. Seu jeito ativo, conselheiro e acolhedor, cativa todos da comunidade e arredores. É exemplo de mulher e de mãe. A comunidade do INPS e de toda Ilha, tem orgulho dessa ilustre guerreira insulana. 



Veja Também

Fabinho é exemplo de superação - Fabinho, que mora na Ilha desde que nasceu, trabalha há mais de 17 anos como ajudante no Supermercado Mundial do Cacuia e é dono de uma alegria irreverente e um exemplo de superação para todos insulanos.

Um cantor e compositor eclético - A Ilha tem se destacado no cenário musical, lançando novos artistas representantes de vários gêneros musicais, pessoas que vivem realidades diferentes, mas que tem em comum a paixão pela música e a vontade de espalhar ao mundo a sua arte. Esse é o caso do ex-mecânico Marcelo de Moraes, que encontrou na música uma forma de contar a sua história.

Professor Nahum é referência na Ilha - Quando se fala em educação e esporte na Ilha, com certeza o professor Nahum (61), faz parte da história de muitos insulanos. Disciplinador, o professor de educação física há 39 anos se dedica a preparar gerações de crianças e adolescentes para o futuro.

Sempre acreditei nos meus sonhos - Celeiro de artistas renomados, a Ilha do Governador tem lançado grandes nomes no cenário musical. Atualmente quem se projeta como um dos maiores cantores de samba pop romântico nacional é o insulano Dilson Scher, que adotou o nome de Dilsinho, como é carinhosamente tratado pelos milhares de fãs. Aos 24 anos ele é sucesso nas rádios de todo o país, dono de uma voz inconfundível e canções que falam de amor, tema que tem conquistado cada vez mais fãs.

Músico incentiva o combate às drogas - Em 1971 nascia no sertão da Bahia Vangi Souza que ao completar seis meses de vida foi trazido para o Rio de Janeiro pelos seus pais, Antônio e Isabel, que decidiram tentar a sorte no Rio de Janeiro. Vieram direto para a Ilha do Governador, mais precisamente no bairro dos Bancários. Fois nas escolas Dunshe de Abrantes e Mendes de Moraes, que Vangi começou a criar as raízes para a leitura que anos mais tarde o tornaram um grande escritor.

Nure, uma voz que brilha na Ilha - A cantora Nureane Menezes, ou como é conhecida popularmente, Nure Guidah, é nascida em Santa Cruz e insulana de coração. Cresceu em Campo Grande, junto com os pais, Margarete Menezes de Souza e Samuel Ramos de Souza, que trabalhavam muito para sustentar a família. Por causa do trabalho dos pais, ela passava boa parte do dia com a sua avó, Margarida Menezes, que lhe ensinou a cantar e se portar nos palcos desde nova.


Edição 1843
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras


 

Copyright© 2010 Ilha Notícias. Todos os Direito Reservados.
Este material não pode ser publicado, transmitido, reescrito ou redistribuido sem prévia autorização.