Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Caverna forma campeões de jiu jitsu

05/05/2017 - gente-da-ilha /Edição 1831
Se você procurar por Flávio Rodrigo, provavelmente poucos sabem quem é. Mas se falar no professor Caverna você vai descobrir que se trata de uma pessoa muito conhecida e admirada na Ilha. Nascido no antigo Hospital São Luiz, na Praia da Bandeira, o professor Flávio Caverna, como prefere ser chamado, é faixa preta de jiu-jitsu e forma campeões no esporte e na vida há nove anos. 
 
infância de Caverna foi divida em duas partes. A primeira, até os oito anos, correndo e jogando bola nas ruas do Village. Já a segunda, após a separação dos pais, quando foi morar com a mãe Maria do Carmo e a avó Carmelita, no Condomínio Residencial Santos Dumont, na Portuguesa. Ele conta que curiosamente conheceu o jiu-jitsu através de uma briga entre crianças do próprio condomínio. 
 
— Antigamente, no Santos Dumont, existia uma rixa boba entre crianças que moravam na parte azul e os da parte amarela. Um dia, estava chegando em casa quando vi o meu amigo Leonardo Atama, se defendendo de uma briga usando técnicas de jiu-jitsu. Fiquei entusiasmado e logo quis aprender e praticar também. A partir dali minha paixão começou — disse Caverna, que herdou o apelido de um amigo pelo fato de usar cabelos longos e ser parecido com o herói “Capitão Caverna”.
 
Depois desse dia, Caverna começou a treinar forte e levar a sério o jiu-jitsu, com a certeza de que um dia este esporte transformaria a sua vida. A paixão dele era tanta, que, ainda moleque, chegou a usar o dinheiro do seu plano de saúde para pagar a mensalidade do jiu jitsu no Iate Clube, único clube na Ilha que tinha aulas do esporte. 
 
Em 2008, já um atleta consagrado no meio do esporte, aceitou convite do seu amigo e lutador, Paulo Henrique e começou a dar aulas de jiu-jitsu na Praia da Bandeira. No primeiro mês, ficou decepcionado pela pouca procura de alunos, fato que quase o fez desistir. Mas, aos poucos, as pessoas foram chegando e Caverna percebeu que ensinar era um dos seus dons. Hoje ele se orgulha de já ter revelado campeões.
 
— É gratificante chegar em casa e ler mensagens de alunos agradecendo publicamente os meus ensinamentos, não só na arte marcial, mas também na vida. Me orgulho de já ter formado grandes atletas profissionais que hoje vivem do jiu-jitsu. 
Recentemente o professor Caverna inaugurou uma nova academia, que funciona na Rua Peixoto de Carvalho, 161, no Zumbi, lugar onde ensina e treina os seus alunos para o simples aprendizado e prepara campeões.
 
Aos 37 anos, Caverna continua firme no seu propósito de formar campeões e também pretende realizar um projeto social dentro das comunidades da Ilha do Governador. “Quero ensinar aos que mais carecem de ajuda. Desejo ajudar jovens que precisam e podem usar o jiu-jitsu como ferramenta de ascensão social. Esse é meu sonho.”
 
Admirado pelos seus alunos, Caverna se orgulha em morar na Ilha, lugar onde é referência como professor de jiu-jitsu. A trajetória desse professor de campeões ainda tem muita história de sucesso pela frente, resultado da sua capacidade de ensinar e o excelente caráter. 
Caverna é Gente da Ilha!




Veja Também

Sua bandeira é a luta pela ecologia - Sérgio Ricardo, 50, é um insulano engajado nas causas ecológicas e sociais da região e coordenador de diversos projetos em defesa da Baía de Guanabara, além de promover as feiras agroecológicas da Praia da Bica e da Igreja Batista no Moneró.

Ana Paula dá alma às bijuterias - Ana Paula, 49, nasceu na cidade de Miraí, zona da mata de Minas Gerais, e se considera uma mineira de alma insulana. Aos 18 anos veio para a Ilha do Governador e daqui não saiu mais, e nem pensa em sair. Ana é conhecida na região por participar de diversas ferinhas vendendo bijuterias artesanais. Em abril deste ano abriu uma loja física no Ilha Plaza Shopping.

Orgulho de ser insulano da gema - Paulo Henrique, 46, é morador da comunidade do Guarabu, e ganha a vida, há mais de quinze anos, vendendo deliciosas pipocas, na Rua Sargento João Lopes, em um ponto quase esquina com a Estrada da Cacuia, na calçada ao lado da loja Kazinha. O segredo do sucesso da sua pipoca ele não guarda. ”Tudo que é feito com amor é bom. E na minha pipoca esse ingrediente nunca falta”.

Antônio foi à guerra e venceu - Antônio é um empreendedor nato. Primeiro filho do casal Anibal Soares e Maria Augusta, ele herdou da família a Panificação Jardim Guanabara, a famosa Padaria do Anibal. Embora a relação com os pais fosse muito boa, a infância foi vivida em Portugal ao lado dos avós Abraão e Maria Augusta em uma aldeia.

Manoel Ormond, um engenheiro de sucesso - Manoel Ormond, 72, é um engenheiro gabaritado. Há mais de 45 anos possui um escritório na Rua Colina, no Jardim Guanabara, e já realizou centenas de obras importantes ao longo de sua carreira, inclusive foi um dos engenheiros da construção do Parque Aquático Rio Water Planet, em Vargem Grande.

Luiz transforma o vime em arte - Luiz Antônio Nunes, 61, é um artesão de mão cheia. Nascido em Teresópolis, Luiz trouxe da cidade serrana o aprendizado e a paixão pelos móveis feitos de vime, junco e ratan. Hoje é um dos poucos profissionais da região que ainda trabalha com esses materiais.


Edição 1889
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras