Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Boca no Trombone

08/03/2019 - boca-no-trombone /Edição 1927
Desordem no Aterro
No domingo de carnaval (3), estava no Aterro do Cocotá, quando duas motos entraram em alta velocidade na pista destinada à caminhada. Além disso, jovens usam drogas nas pistas de skate, deixando um cheiro horrível no local. Fico indignado com esta situação. Jéssica Dutra, via WhatsApp.

Baratas na barca
Utilizo as barcas diariamente e além de serem embarcações muito antigas, desconfortáveis e lentas, estão infestadas de baratas. É extremamente desagradável e todos passageiros ficam apreensivos durante a viagem, tentando evitar que as baratas subam em suas roupas. Absurdo! Yhasmin Nunes, via WhatsApp.

Corredor Esportivo
É um absurdo que o Corredor Esportivo não tenha banheiros públicos. Quando nos reunimos em família para fazer um piquenique pelo local, temos que pedir para usar os banheiros dos quiosques próximos. É lamentável e desconfortante. Elizabeth Cruz, via WhatsApp.

Poucos ônibus
Durante os dias de carnaval, nós moradores insulanos, sofremos para conseguir pegar algum ônibus dentro e fora da Ilha. Não aguento mais essa situação de falta de ônibus e ônibus quebrados. Isso precisa de um fim. Otávio Motta, via WhatsApp.

Caos na Bica
Moro próximo a Praça Jerusalém, na Praia da Bica, e durante este período de carnaval, o local está uma bagunça. Todo final de semana tem desfile de blocos no bairro, e a maioria dos insulanos vão para o local e deixam tudo sujo. Copos, garrafas quebradas e músicas até tarde. É um caos. Maria Helena, via WhatsApp.

São Bento
Os peixes estão morrendo na Praia de São Bento. O cheiro fica cada dia mais insuportável e além disso, falta segurança no local que aparenta estar abandonado. Muito triste ver que chegamos a esse ponto aqui em nossa região. Eduardo Maldonado, via WhatsApp.

Praça do Loreto
A praça em frente ao Hospital Nossa Senhora do Loreto, no Galeão, há muito tempo está abandonada. O local vem servindo como dormitório e banheiro para moradores de rua, além de ser um parque de diversões para usuários de drogas que ficam por ali à noite. Os assaltos na região são frequentes, além da falta de iluminação. Yhan Souza, via WhatsApp.

Camelôs no Tauá
Em frente ao Supermercado Mundial, no Tauá, existem vários camelôs que se aglomeram na porta e atrapalham quem chega e deixa o mercado. Por ser estreito, sempre acabamos esbarrando nas pessoas quando transitamos pelo local. É um incômodo muito grande. Eric Batista, via WhatsApp.

Mulheres ladras
Há um grupo de mulheres assaltando no Jardim Guanabara. Minha sogra foi vítima delas e quando chegamos na 37ª DP, para fazer o boletim, mais três senhoras tinham sido assaltadas pela mesma quadrilha. Carla Siqueira, via WhatsApp.

Village com medo
Precisamos que a iluminação nas ruas do Village seja melhorada, além de mais policiamento, já que muitos bandidos se aproveitam dessas condições para assaltar. No sábado (2), dois ladrões em uma moto assaltaram minha tia de 43 anos, próximo ao Brazuca. Bruno Motta, via WhatsApp.

Gabriel Novaes
A Praça Engenheiro Gabriel de Novaes, localizada no Bancários, tem lixo espalhado e buracos por toda parte, além do problema em relação aos ônibus no entorno. Precisamos de obras, pois é um local muito importante para os moradores do local. Igor Garcia, via WhatsApp.

Transtorno no Extra
O ponto de ônibus do Extra virou uma bagunça. Há carros estacionados e vans que não deixam os ônibus parar no ponto certo. Alguns ônibus são obrigados a parar no meio da rua para deixar passageiros. Felipe Henrique, via WhatsApp.

Praia da Bandeira
À noite, os quiosques da Praia da Bandeira servem de moradia para desabrigados, motel para jovens namorados e criadouro de mosquito. É um descaso total com os insulanos que sempre gostaram de frequentar o local. Rômulo Mendonça, via WhatsApp.

Pipas 
Na Rua Pajuçara, no bairro do Cocotá, os moradores não têm mais sossego aos fins de semana devido à quantidade de pessoas que se reúnem para soltar pipas. Além de quebrar os vidros dos carros com marimbas e transformar a rua numa bagunça, cortam os fios dos postes com linhas de cerol, um perigo para quem passa pelo local. Lorena Neves, via WhatsApp.

Nervosos
Não é só dentro dos ônibus que brigas podem acabar em acidentes. Nesta semana, uma passageira discutiu com o motorista de uma van que eu peguei no Cocotá para ir ao Galeão, e quando ela foi descer na Praça do Avião, ele arrancou e ela quase caiu na calçada. O transporte na Ilha está com problemas muito graves. Nayara Garcia, via WhatsApp. 

Ônibus lotados
Acho um absurdo ir pegar ônibus às 5h30 e eles já estarem lotados. Muitas vezes o motorista nem pára, de tão cheio que o veículo está, principalmente aqueles que vão pela Linha Vermelha. E na volta, indo ao ponto final só encontramos ônibus frescão, que ainda não diminuíram o preço da passagem. Cleber Assunção, via WhatsApp.

Pio Dutra alagada
O trecho da Rua Pio Dutra, próximo ao colégio Ceeduca fica totalmente alagado quando chove. Os motoristas e os moradores não conseguem atravessar. Meire Muniz, via WhatsApp.

Tombo
Levei um tombo depois de tropeçar em um buraco na calçada da Praia da Bandeira, próximo ao Aterro do Cocotá. Assim como muitas pessoas, costumo praticar caminhadas pelo trecho, que precisa de atenção urgente. Kátia Oliveira, via WhatsApp.






Edição 1929
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras