Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Boca no Trombone

01/02/2019 - boca-no-trombone /Edição 1922
Linhas perigosas
Todo mundo está cansado de saber que aos finais de semanas, no Aterro do Cocotá, muitos jovens e adultos soltam pipas com as linhas chilenas. Gostaria que as autoridades produzissem algumas ações para evitar estes problemas. É muito perigoso. Fernanda Ramalho, via WhatsApp.

Pichações
Como pode a Ilha, que já foi um lugar tão bonito e agora têm diversos lugares com pichações. Minha casa já foi pichada três vezes, e moro em um prédio. Eles esperam chegar na madrugada e realizam os delitos. Lamentável. Aldo Barbosa, via WhatsApp.

Sugestão
Sugiro que os moradores da Ilha, que têm animais de estimação coloquem uma plaquinha de identificação com o nome e telefone do dono, na coleira dos bichinhos. Com certeza vai evitar problemas de desaparecimento dos animais da nossa região. Paulo Corrêa, via WhatsApp.

Falta segurança
Desde 2005 eu moro na Ilha, e percebi que alguns lugares seguem com falta de policiamento. A Praça do Quebra Coco, o Aterro do Cocotá e o Corredor Esportivo estão deixando a desejar. No início das noites é difícil até realizar uma caminhada, com medo de ser assaltado. Ricardo Pinheiro, via WhatsApp.

Incômodo
Fico muito incomodado com o desrespeito dos trocadores de vans no Ilha Plaza. Eles usam o alto-falante com o volume no máximo, para chamar passageiros e até discutem entre si. Isso poderia acabar, já! Renato Lima, via WhatsApp.

Necker Pinto
Quero fazer um agradecimento ao Posto de Saúde da Família, Necker Pinto, pelo atendimento prestado à gestantes. Agradeço pelo carinho, paciência e até mesmo em responder as dúvidas com tanta clareza e educação. O que tenho por vocês é gratidão. Francisca das Chagas, via WhatsApp.

Solidariedade
A PA do Galeão está organizando uma campanha de doação de sangue para ajudar as vítimas da tragédia de Brumadinho. As pessoas que tiverem o tipo sanguíneo O-, estão aptos a ajudar. O sangue está sendo coletado no Hemorio. Bruno Azevedo, via WhatsApp.

Craques na Ascaer
No futsal do Ascaer já foram formados craques como o atacante Pedro, do Fluminense. Agora o projeto que seleciona futuros atletas está de volta. É uma boa iniciativa e oportunidade para as crianças insulanas praticarem esporte, e terem uma infância saudável. Leonardo Caju, via WhatsApp.
Procor
Quero agradecer aos médicos da Procor pela a atenção dada a mim e minha família no hospital. Nós fomos muito bem atendidos e os médicos foram maravilhosos. Bom saber de uma boa estrutura médica na Ilha. Jacy Cavalcante, via Facebook.

Carnaval 
Eu amo carnaval e a Ilha conta com muitos blocos. O samba com o rock que acontece na Ribeira é muito bacana. Ainda bem que está época do ano já vem chegando. Augusto Guerra, via Facebook.

Invejado
Moro na Ilha desde 2016 e, toda vez que digo aos meus antigos vizinhos de outras regiões que moro na Ilha do Governador, sou completamente invejado. As pessoas de fora enxergam nosso lugar como ótimo para se morar e com lindas vistas para Praia. Convenhamos, estão certos. Igor Anzaleno, via WhatsApp.

Viva a Ilha!
Apesar de todos os problemas, me sinto muito seguro quando ultrapasso a Ponte e chego na entrada da Ilha. É um lugar onde nasci e amo muito. Têm seus encantos. Mário Lessa, via WhatsApp.

Melhorou
A Praia da Bica realmente vem apresentando melhoras. Existem aulas de Stand Up Paddle e recentemente ocorreu o projeto Botinho. Tudo por terem acabado com as línguas negras. Bola dentro! Romulo Gabriel, via Twitter.

União é 10
A nossa União da Ilha promete muito na Sapucaí neste ano. Compareci no último ensaio de rua e dava gosto de ver como todas as alas estavam animadas e a bateria sempre nota 10. Rodrigo Oliveira, via WhatsApp.






Veja Também

Boca no Trombone - O sinal em frente ao lanchonete Água Viva, na Avenida Doutor Agenor de Almeida Loyola, Bancários, está apagado há duas semanas. É um perigo, pois sem a sinalização, os carros transitam livremente possibilitando um contato perigoso com os pedestres que atravessam a rua. Anderson Muniz, via WhatsApp.

Boca no Trombone - O tempo que o sinal leva para sair do vermelho, e voltar ao verde na Rua Colina, no Jardim Guanabara, é surreal. Em questão de segundos essa mudança acontece, e um idoso ou deficiente não tem tempo hábil para conseguir atravessar. Muito triste. Fernanda Moreira, via Facebook.

Boca no Trombone - No ponto do Mundial do Cacuia, ao chamar os passageiros, as vans ficam horas no meio da rua. Já cansei de perder ônibus porque os motoristas passam direto. Além do trânsito, tem a gritaria que fica na região. Marcela Oliveira, via Facebook.

Boca no Trombone - Por conta de um curto circuito num poste próximo, ficamos sem luz na Rua Fernandes Fonseca, Ribeira, mais de 36h. Foram feitos 16 protocolos e quando o terceiro carro da Light chegou, disse que não havia nenhuma notificação. Se fosse denúncia de furto de energia, eles resolveriam rápido. O poste pegou fogo e, por sorte, não incendiou a casa vizinha. Thamires Hip, via Facebook.

Boca no Trombone - Minha filha é cadeirante e muitas vezes preciso levá-la ao Posto de Saúde para alguns exames, mas é muito difícil já que quase nenhuma calçada da Ilha tem rampa de acessibilidade ou espaço para passarmos com a cadeira. Quando vamos ser minimamente respeitados aqui? Valéria Conceição, via WhatsApp.


Edição 1924
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras