Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Boca no Trombone

19/10/2018 - boca-no-trombone /Edição 1907
Barcomotel
As autoridades precisam fazer algo com os barcos que ficam largados no final da Praia da Bica. Servem de motel e esconderijo para usuários de drogas. Teresa Moraes, via WhatsApp.

Vai desabar
Na Praia da Bandeira, antes do Detran, a contenção vai desmoronar a qualquer momento. As autoridades foram avisadas, mas só vão fazer algo quando tudo for ao chão. Temos que torcer para que ninguém se machuque ou tenha alguma vítima fatal. O aviso foi dado, está muito perigoso ali. Getulio Vargas, via Facebook.

Ônibus sem ar
Em um único dia já vi três carros da Paranapuan quebrados. Além da má manutenção, com essa época de calor chegando é melhor levar roupa de banho para fazer uma sauna a caminho do trabalho. Absurdo não ter nenhum ônibus climatizado. Priscilla Maneschy, via Facebook.

Desculpas
Há décadas sofremos com a falta de energia por qualquer chuvisco. Com a chuva do feriado faltou luz na Rua Iva, Jardim Guanabara, às 19h e quando entramos em contato com a Light, eles disseram que a energia voltaria ao normal apenas às 4h da manhã. Das duas, uma: ou os transformadores e as redes de energia são obsoletos, ou falta capacidade técnica da empresa. Ninil Boechat, via WhatsApp.

Teto furado
Semana passada peguei um ônibus da linha 327 (Ribeira x Castelo) e ele estava simplesmente com o teto rasgado. Para piorar, começou a chover e molhou os passageiros. Precisamos de fiscalizações mais rígidas, os moradores são humilhados por essas empresas. Kelly Lima, via Facebook.

Falta espaço
Nos finais de semana, ao redor da Praça da Ribeira instala-se um caos por conta dos carros que disputam vagas. Além de flanelinhas que cobram caro, os motoristas dos ônibus ás vezes têm dificuldades para saírem do ponto por conta da quantidade de carros que fecham a passagem. Renato Soares, via Facebook.

Bárbara de Castilho
As árvores da Rua Bárbara de Castilho, no Jardim Carioca, precisam urgentemente de poda para uma melhoria na iluminação. O trecho, próximo ao número 539, se tornou perigoso aos moradores do local. Gabriel Costa, via WhatsApp.

Confusão
Na pista de saída da Estrada do Galeão, na altura da peixaria, o ponto fica tão cheio que gera transtornos no trânsito. Minha mãe perdeu um exame por conta desse caos que temos que enfrentar todos os dias. Merecemos um choque de ordem no local. Elizabete Alves, via WhatsApp.

Bagunça na Bica
Você passa pela Praia da Bica à noite e vê o estado deplorável que as ruas ficam, carros na calçada, lixo no chão e muito adolescente com bebida. Um absurdo termos que conviver com a bagunça todos os finais de semana. Wagner Souza, via Facebook.

Disputa de espaço
A calçada do Supermercado Mundial, no Tauá, fica intransitável nos dias de semana. Além dos carros estacionados no meio das calçadas, os pedestres têm que disputar espaço com vendedores ambulantes que colocam seus produtos em qualquer lugar. Maria Lucia, via Facebook.

Assim não!
Mais uma vez a ciclovia da Estrada Rio Jequiá está sendo usada indevidamente pelos moradores. Como se já não bastasse servir de lixeira, agora está servindo de estacionamento ilegal. A via é estreita e tem riscos de acidentes. Norma Castro, via Facebook.

Cacuia e as vans
Os motoristas de van não estão respeitando mais nem as sinalizações de trânsito. No ponto do Mundial do Cacuia, eles param em cima da faixa de pedestres, impedindo a passagem. Maria do Socorro, via WhatsApp.

Jardim Carioca
O Jardim Carioca é alvo de muitos assaltos. Falta iluminação, poda de árvores, há buracos nas ruas e em algumas calçadas. As praças à noite ficam à deriva, sem ninguém para tomar conta. Elias Travassos, via Facebook.

Irregularidade
Na Rua Marino da Costa, nos horários escolares e principalmente na parte da tarde, os veículos são estacionados nos dois lados da rua por conta dos. Essa atitude dificulta o acesso dos moradores em suas casas. Fernando Moura, via Facebook.

Difícil caminhar
Cada dia fica mais difícil praticar esportes ao ar livre. As orlas das praias estão esburacadas e, se formos de bicicleta, temos que disputar espaço com os carros que não respeitam a sinalização. No Corredor Esportivo, a iluminação e a sujeira não ajudam. Tuane Silva, via WhatsApp.

Chapot Prevost
Na Rua Chapot Prevost os pedestres precisam se arriscar no meio das ruas em alguns trechos, por conta de carros estacionados e buracos feitos pelas raízes das árvores, que tornam as calçadas irregulares. É um problema para quem tem que passar pelo local. Claudia Viana, via WhatsApp.

Desorganização
O ponto de ônibus em frente ao Bradesco do Cocotá fica intransitável, assim como os do Cacuia. A rua é estreita e as vans estacionam para esperar as pessoas lotarem o veículo. Fica tudo parado e os ônibus não conseguem encostar próximo a calçada. Flavia Firmino, via Facebook.

É duro!
Os ônibus para o aeroporto são totalmente sucateados, se chover a gente se molha por causa das goteiras e das janelas que as vezes travam. O ônibus que salva é o 925. Juliana Almeida, via Facebook.


































Veja Também

Boca no Trombone - As passarelas da Estrada do Galeão estão um nojo por conta do lixo despejado no local. Além disso, a passarela da altura do Casa Show serve de abrigo para pessoas de rua. Everton Santos, via Facebook.

Boca no Trombone - Moro na altura do número 1000 da Estrada do Dendê e é impressionante a quantidade de motoboys que eu vejo passando pelas calçadas. Ontem à noite, um desses quase atropelou minha filha de 11 anos. Precisamos fazer algo antes que aconteça um acidente grave, percebo isso em vários bairros da Ilha. Alex Modesto, via WhatsApp.

Boca no Trombone - Quando chove, o trecho da Rua Pio Dutra fica totalmente alagado e os motoristas não conseguem passar. Para quem mora na rua é uma vergonha, porque há anos passamos pelos mesmos problemas quando chove. Nathalia Vaz, via WhatsApp.

Boca no Trombone - Passei por uma situação péssima no Posto Cambaúba. Fui abastecer no posto e saí normalmente, quando cheguei em casa meu carro não ligava de jeito nenhum. Depois de três horas tentando descobrir o problema do carro, o mecânico constatou que a gasolina estava podre. Quando reclamei no posto, fui completamente ignorado e não fui ressarcido do meu prejuízo. Julia Souza, via WhatsApp.

Boca no Trombone - O ponto final de van, nas esquinas da Rua do Romancista com a Rua Magno Martins, está causando uma bagunça no local. As vans estacionam em cima da calçada, os motoristas agem com falta de respeito e falam palavrões alto. Além disso, os veículos atrapalham a visibilidade. Estamos desesperados. Bruna Carvalho, na redação.


Edição 1911
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras