Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Boca no Trombone

11/05/2018 - boca-no-trombone /Edição 1884
Táxis contra a Ilha
Está cada vez mais difícil para os moradores da Ilha, que chegam pelo aeroporto Tom Jobim, conseguirem pegar Uber ou táxi para casa. Muitos motoristas se recusam à fazer as viagens para bairros da Ilha, alegando que o trajeto é curto. Essa atitude incorreta de filtrar as corridas acabam deixando os insulanos esperando por muito tempo. Maria Angélica, via Facebook.  

Despejo irregular
Sacos de entulho foram depositados no gramado que beira a Rua Matias Antônio dos Santos, no Quebra Coco. O lugar tem uma vista linda, mas algumas pessoas sem educação insistem em despejar lixo no lugar. É um absurdo a tamanha falta de educação. Roberto Moto, via Facebook. 

Assaltos
A Rua Henrique Lacombe, voltou a ser alvo constante de assaltos. A polícia já colocou uma viatura na esquina da rua com a Praia da Bica, mas não fica o dia todo. Seria melhor estender esse horário, com policiamento em todos os turnos, principalmente em horários em que a rua está deserta. Ricardo Campos, via WhatsApp. 
Faltam barcas
Até quando os moradores da Ilha ficarão sem o serviço das barcas nos fins de semana? Deveriam oferecer no mínimo três horários: manhã, tarde e noite, até porque muitas famílias aproveitam o final de semana para passearem fora da Ilha. Vamos ficar à mercê desse péssimo serviço até quando? Lorena Froes, na redação. 

Pelônias 
Moro no Condomínio das Pelônias, na Avenida Ilha do Fundão, nos Bancários e estou preocupado com um barranco do morro da Marinha que desabou em parte do condomínio e outra parte está prestes a cair. Já pedimos ajuda a vários órgãos, mas nada foi resolvido. Será que estão esperando um desastre acontecer para tomarem alguma atitude? Marinho Santanna, via WhatsApp. 

Faltam vagas
Os moradores do Cocotá, sofrem todos os dias com a falta de vagas para estacionarem seus veículos. É muito complicado voltar em casa durante o dia para almoçar, buscar ou levar alguma coisa. Lisete Accioly, via Facebook. 

Ocupação 
A movimentação das pessoas para a construção das casas no terreno ocupado na Ribeira não para. Dia e noite caminhões com materiais de construção entram no terreno. Cadê a atitude das autoridades? Roberto Rps, via Facebook. 

Protesto
Não é de hoje que os ônibus da empresa Paranapuan estão mal conservados, além dos atrasos de mais de uma hora para passar nos pontos. Essa empresa só pode estar de brincadeira, além de não investirem em transportes novos, as linhas são todas desreguladas, deixando os passageiros na mão. Vanessa Dantas, via WhatsApp. 

Lixo nos Bancários 
A Praia dos Bancários está precisando de uma ação da Comlurb urgente! Garrafas plásticas, sacos de lixo, entulho e pedaços de móveis estão espalhados em boa tarde da orla, fazendo com que se torne impossível frequentar o local. Rose Pinheiro, via WhatsApp. 

Passarela suja
Penso pelo menos dez vezes antes de passar pela passarela que tem em frente ao Hipermercado Extra por conta da falta de conservação do local. Infelizmente o lugar fede muito, tem lixo espalhado, sem contar a pouca iluminação, que aumenta o clima de insegurança. Luiz Felipe, via Facebook. 

Sugismundos
Estive com a minha filha no Parque Manuel Bandeira, no Aterro do Cocotá, que fez parte da minha infância. Fiquei muito triste com o descaso dos usuários porque me deparei com algumas garrafas de bebidas alcoólicas espalhadas pela área onde as crianças brincam, sem contar os restos de drogas. Carlos Fernandes, via WhatsApp. 

Assalto no ponto
No domingo (6), dois assaltantes em um veículo corsa azul escuro abordaram duas mulheres que estavam próximas ao ponto de ônibus da Rua Colina. Um deles estava armado. Os bandidos levaram um cordão de ouro e dois celulares. Lilian Kroes, via WhatsApp. 

Desordem 
Na Rua Pereira Alves, no Cocotá, é muito difícil transitar pelas calçadas. Carros ocupam os dois lados da rua e muitas vezes fica quase impossível entrar na garagem de casa porque alguém estaciona na sua porta. Já fiz inúmeras reclamações através do número 1746 da Prefeitura, mas ninguém apareceu no local. Tiago Gomes, via Instagram. 

Praia da Bandeira
Fui caminhar na Praia da Bandeira e me deparei com o péssimo estado de conservação da rua. Precisamos que a obra da orla seja feita logo antes que ceda toda a rua. Márcia Pombo, via Facebook.



Veja Também

Boca no Trombone - Na Praia da Bandeira, antes do Detran, a contenção vai desmoronar a qualquer momento. As autoridades foram avisadas, mas só vão fazer algo quando tudo for ao chão. Temos que torcer para que ninguém se machuque ou tenha alguma vítima fatal. O aviso foi dado, está muito perigoso ali. Getulio Vargas, via Facebook.

Boca no Trombone - Passei por uma situação péssima no Posto Cambaúba. Fui abastecer no posto e saí normalmente, quando cheguei em casa meu carro não ligava de jeito nenhum. Depois de três horas tentando descobrir o problema do carro, o mecânico constatou que a gasolina estava podre. Quando reclamei no posto, fui completamente ignorado e não fui ressarcido do meu prejuízo. Julia Souza, via WhatsApp.

Boca no Trombone - O ponto final de van, nas esquinas da Rua do Romancista com a Rua Magno Martins, está causando uma bagunça no local. As vans estacionam em cima da calçada, os motoristas agem com falta de respeito e falam palavrões alto. Além disso, os veículos atrapalham a visibilidade. Estamos desesperados. Bruna Carvalho, na redação.

Boca no Trombone - É comum ver pessoas, muito debilitadas, deitadas embaixo da passarela da Portuguesa, durante os dias de semana. São pessoas que estão sem tomar banho, pedem esmolas e comida. Embora estejam visivelmente doentes não aceitam ajuda para serem transferidas para o abrigo público onde poderiam ter a garantia de alimentação e coisas básicas para viver. Como fazer? Talvez alguma instituição de caridade as possa ajudar. Josefa Donewisk, via WhatsApp.

Boca no Trombone - Tumulto escolar Veículos causam tumulto próximo ao Colégio Iglesias. Carros chegam da Rua Babaçu e se encontram com os carros da Rua Abélia nos horários escolares. Peço bom senso dos responsáveis para deixarem seus filhos sem atrapalhar o trajeto dos carros que necessitam transitar pelo local. Andrea Libonati, via WhatsApp.

Boca no Trombone - Precisamos de candidatos que realmente façam algo pela Ilha do Governador. Todas eleições prometem e nada muda. Como pode uma ilha não ter o transporte marítimo como seu principal modal de transporte? Não temos barcas nos finais de semanas e, durante semana, apenas seis horários. Geraldo Campos, via WhatsApp.


Edição 1907
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras