Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Boca no Trombone

09/02/2018 - boca-no-trombone /Edição 1871
Cemitério
A Concessionária que cuida do Cemitério do Cacuia cobra uma taxa anual de manutenção alta, porém no cemitério não tem manutenção nenhuma. Está difícil até caminhar entre os túmulos, devido aos carrapichos e matos, sem contar que caminhamos com o chão todo esburacado. Lindalva Nogueira, via Facebook.

Medo na passarela
A falta de segurança na Portuguesa está demais. Os assaltos são frequentes na passarela do Hipermercado Extra, e se a pessoa atravessar pela rua, corre o risco de ser atropelada. Sem contar a quantidade de pessoas dormindo em cima da passarela que está aumentando a cada dia. Silvia Ribeiro, via Facebook.

Moradores de rua
A ocupação que fica ao lado da Estação das Barcas, no Cocotá, está aumentando cada vez mais. Está muito difícil de passar no local. Vera Loyola, via WhatsApp.

Lixo & Mato 
A Pracinha da Rua Teodoro Braga, atrás do Ilha Plaza Shopping, no Jardim Carioca, está em péssimo estado de conservação, com o mato alto e lixo espalhado por diversos pontos da praça. Há tempos eu não levo mais meus filhos para brincarem por causa da situação ruim do local. Vanessa Oliveira, via WhatsApp.

ParCão
A cada dia que vou ao ParCão, no Corredor Esportivo, o local se encontra em pior estado de conservação. Seja por cercas arrancadas ou alambrados quebrados. Esse é o único Parcão que temos na Ilha, local precisa de uma manutenção. Raquel Mota, via Facebook.
Carcaça
Um carro que pegou fogo no dia 26 de janeiro na Estrada do Dendê, próximo à quadra da Acadêmicos do Dendê, está abandonado no local e algumas pessoas estão despejando lixo no interior do veículo. Cadê o órgão responsável? Jedir Coutinho, via Facebook.

Baderna
É um absurdo o que algumas pessoas fazem em dias de bloco na Praia da Bica. Ficam bêbados e se acham no direito de chutar portões e xingar alto. Como se já não bastasse a gente sofrer com o som alto e a baderna o dia todo, agora nem na madrugada temos sossego. Catarina Loureiro, via WhatsApp.

Ônibus Zona Sul
Precisamos urgente da implantação de linhas de ônibus para a Zona Sul. Todos os dias preciso pegar pelo menos dois ônibus para conseguir chegar no trabalho. Não é fácil porque perco muito tempo à toa. Larissa Tavares, via WhatsApp.

Correios
Está cada vez mais difícil depender dos Correios. Fico dias aguardando minhas correspondências e eles simplesmente não passam. Será que vou precisar ir à agência toda semana para cobrar os meus direitos de consumidora? Regina Alves, na redação.

Carros na calçada
Motoristas insistem em estacionarem seus carros em cima da calçada da orla da Praia da Freguesia, impedindo a passagem de pedestres. Já reclamei diversas vezes com as pessoas que estacionam e também com a Guarda Municipal, mas nada adiantou. Precisamos de ajuda, até porque a calçada está até cedendo. Marcos Paulo, via Facebook.
Rua 27 e o lixo
Moro na Rua 27, no Galeão, e a situação aqui está péssima, por causa do excesso de sujeira na rua. Já liguei diversas vezes para a prefeitura e ela diz que é responsabilidade da Aeronáutica por ser área militar, e quando ligo para a Aeronáutica, ela diz que é com a Prefeitura. E agora? Nice Santos, via Facebook.

Invasão de novo
Pessoas estão invadindo novamente o espaço que seria destinado ao terminal pesqueiro, na Ribeira. Há um tempo atrás já havia sido noticiado e a denúncia ajudou a manter o lugar livre de invasores. Precisamos que essa ação seja impedida novamente. Bruno Lyrio, via Facebook.

Árvore na Zurique 
Os órgãos responsáveis precisam retirar uma árvore que fica na Rua Zurique, próximo ao número 420, no Tauá. Ela está morta e seca, risco de cair a qualquer momento, ainda mais agora nesta época que chove e venta bastante.  Anderson Faustino, via Facebook.

Transtorno
Moro próximo a um lava-jato que fica no posto de gasolina na Rua Vístula, Jardim Carioca. Sofro diariamente com o barulho de um compressor de ar que os funcionários usam para secar motos, já que eles não respeitam o horário de silêncio de segunda a domingo. Um transtorno! Antônio Carlos, via Facebook.
Altinópolis
Um buraco está cedendo na Rua Altinópolis em frente ao número 235, na Praia da Bandeira. A prefeitura precisa tomar uma atitude antes que ocorra um grave acidente no local. Fábio Ribeiro, via WhatsApp.

Lauro Corona
Na Rua Lauro Corona, no Guarabu, existe uma pequena praça onde algumas pessoas fazem de depósito de lixo, estacionam carros, caminhões e trailers. Cadê a fiscalização e a Comlurb? Norma Cupolillo, via Facebook.

Santander
Na sexta-feira, dia 2, dois homens assaltaram um rapaz quando ele saía da agência do Santander, na Portuguesa, por volta das 6h da manhã. Os bandidos estavam em uma moto. Cuidado! Naldo Gonçalves, via Facebook.






Veja Também

Boca no Trombone - O sinal em frente ao lanchonete Água Viva, na Avenida Doutor Agenor de Almeida Loyola, Bancários, está apagado há duas semanas. É um perigo, pois sem a sinalização, os carros transitam livremente possibilitando um contato perigoso com os pedestres que atravessam a rua. Anderson Muniz, via WhatsApp.

Boca no Trombone - O tempo que o sinal leva para sair do vermelho, e voltar ao verde na Rua Colina, no Jardim Guanabara, é surreal. Em questão de segundos essa mudança acontece, e um idoso ou deficiente não tem tempo hábil para conseguir atravessar. Muito triste. Fernanda Moreira, via Facebook.

Boca no Trombone - No ponto do Mundial do Cacuia, ao chamar os passageiros, as vans ficam horas no meio da rua. Já cansei de perder ônibus porque os motoristas passam direto. Além do trânsito, tem a gritaria que fica na região. Marcela Oliveira, via Facebook.

Boca no Trombone - Como pode a Ilha, que já foi um lugar tão bonito e agora têm diversos lugares com pichações. Minha casa já foi pichada três vezes, e moro em um prédio. Eles esperam chegar na madrugada e realizam os delitos. Lamentável. Aldo Barbosa, via WhatsApp.

Boca no Trombone - Por conta de um curto circuito num poste próximo, ficamos sem luz na Rua Fernandes Fonseca, Ribeira, mais de 36h. Foram feitos 16 protocolos e quando o terceiro carro da Light chegou, disse que não havia nenhuma notificação. Se fosse denúncia de furto de energia, eles resolveriam rápido. O poste pegou fogo e, por sorte, não incendiou a casa vizinha. Thamires Hip, via Facebook.

Boca no Trombone - Minha filha é cadeirante e muitas vezes preciso levá-la ao Posto de Saúde para alguns exames, mas é muito difícil já que quase nenhuma calçada da Ilha tem rampa de acessibilidade ou espaço para passarmos com a cadeira. Quando vamos ser minimamente respeitados aqui? Valéria Conceição, via WhatsApp.


Edição 1924
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras