Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Boca no Trombone

22/12/2017 - boca-no-trombone /Edição 1864
Esgoto na praia
Moro na Praia da Ribeira e em frente da minha casa corre pelo menos uma vez ao dia um esgoto podre. Impossível ficar com portas e janelas abertas por causa do mau cheiro. Precisamos de uma solução. Nós, moradores, estamos cansados de ter que conviver com isso todos os dias. Olívia Maria, via Facebook. 

Som alto na Bica
Moro próximo da orla da Praia da Bica e todos os dias sofro com o som que parece ser dentro da minha casa de tão alto. Meu filho de 5 anos sofre para conseguir dormir. É impossível dormir. Os moradores da região precisam de mais respeito. Cadê a fiscalização? Luiza Costi, via Facebook. 

Assalto no frescão
No dia 15, por volta das 7h20, ao passar pelo ponto da Peixaria e parar, o ônibus em que eu estava (Frescão Ribeira x Castelo) foi assaltado. Entraram três elementos, armados e com uma granada. Ameaçaram passageiros, levaram pertences e mandaram o ônibus seguir para a Av. Brasil. Repetindo o mesmo padrão que estamos cansados de ver e saber. É um absurdo! Isabela Guichard, via Facebook. 
Calçada cedeu
Parte da calçada da Praia da Bandeira cedeu e pode provocar acidentes. A calçada é caminho de crianças e idosos e com isso, eles estão passando pelo meio da rua, dividindo o espaço com os carros que passam ali. Cadu Bonevich, via WhatsApp. 

Mau cheiro
Tem um esgoto na Estrada do Galeão, próximo do ponto de ônibus nos fundos do Hortifruti que está causando um mau cheiro horrível. Já faz mais de um mês. Luis Felipe, via Facebook. 

Assalto na praça
No sábado (16), fui assalto por volta das 1h da manhã, na pracinha em frente ao Hospital do Loreto, no Galeão. A situação na região está cada vez pior. Temos visto inúmeras reclamações de assaltos, mas mesmo assim continuamos sem policiamento. Não dá para conviver com essa insegurança! Luan Cândido, via Facebook. 

Faltam ônibus
Os trabalhadores do aeroporto estão sendo prejudicados e precisam de ajuda. Não existem mais as linhas 924 nem 922. As vans não param mais no Casa Show e nem na Peixaria porque o RioCard não é aceito. Estamos chegando atrasados e tendo que pagar condução do próprio bolso. Isso é um absurdo! Karina Nardacci, via Facebook. 

Sinal 
É raro ver um motorista que respeite o sinal de trânsito na esquina da Rua Domingos Mondim com a Eutíquio Soledade, no Tauá. Idosos e crianças se arriscam diariamente para atravessar. Luana Gomes, via Facebook.  

Lixo na calçada
Operários em um caminhão estão despejando lixo diariamente na Rua Carmo de Minas, nos Bancários, próximo ao número 16. No local, está escrito bem grande no muro para não jogar lixo. Uma falta de respeito com quem passa diariamente pela calçada. Flávia Cardoso, via Facebook. 

Perigo na Canárias
As dezenas de bueiros que foram instalados na Estrada das Canárias, próximo da Clínica da Família, estão novamente cedendo e o asfalto está esburacado. O local precisa de uma obra urgente. Carlos Santana, via WhatsApp. 

Poste da Light
Na Avenida Maestro Paulo e Silva, próximo ao Assaí Atacadista, um poste que fica ao lado do ponto de ônibus está em péssimo estado de conservação e com os vergalhões expostos. Será que a Light vai esperar acontecer um acidente para trocar? Laura Cardozo, via WhatsApp. 

Praça Elis Regina
A Praça Elis Regina, na Portuguesa, está em estado de abandono. Brinquedos estão quebrados e enferrujados. Já desisti de levar minha filha para brincar nela, porque tenho medo dela se machucar no parquinho. Leonardo Cruz, via WhatsApp. 

Lixo & carcaça
Na Rua Marquês de Muritiba, próximo da Praia do Cocotá, carcaça de carro queimada e muito lixo já faz parte do cenário de abandono. Pedestres precisam passar por todo esse lixo diariamente. A situação está péssima! Igor Marques, via Facebook.

Falta respeito
Eu fico indignada quando os motoristas de ônibus são obrigados a deixar os passageiros no meio da rua, porque os pontos de ônibus ficam cheios de vans, principalmente no ponto da esquina da Rua Colina. Nossa vida fica em risco pela falta de respeito dos outros. Silvania Paquen, via WhatsApp. 
Corredor Esportivo
As quadras do Corredor Esportivo estão precisando de uma reforma urgente, principalmente as de basquete que estão com as tabelas quebradas, sem redes e algumas estão enferrujadas, podendo até machucar alguém. Jaques Faria, via Facebook.

Tubiacanga
Pessoas estão despejando lixo em um terreno de Tubianca, próximo ao bar Cura Ressaca. É impressionante a falta de educação das pessoas. Emerson Assis, via WhatsApp. 

Bueiro sem tampa
Um bueiro no calçadão próximo ao Banco Bradesco, na Portuguesa, está com a tampa quebrada há dias. Por ser em uma área muito movimentada o risco de acidente é grande. Giovanna Tabih, via WhatsApp. 

Errata
Em relação à nota publicada na coluna Boca no Trombone da última edição (1863) sobre o motorista de ônibus que não deixou a passageira embarcar porque não tinha troco, o Ilha Notícias corrige a informação. O ônibus B10142 não é da empresa Ideal, e sim da Paranapuan. 

Árvore vai cair
Parte da calçada que fica na Rua Visconde Delamare, próximo ao número 686, no Cacuia, foi destruída pelas raízes de uma árvore que por sinal, pode cair a qualquer momento. Precisamos de ajuda antes que ela caia e cause um acidente. Sonia Mamede, via WhatsApp.





Veja Também

Boca no Trombone - Passei por uma situação péssima no Posto Cambaúba. Fui abastecer no posto e saí normalmente, quando cheguei em casa meu carro não ligava de jeito nenhum. Depois de três horas tentando descobrir o problema do carro, o mecânico constatou que a gasolina estava podre. Quando reclamei no posto, fui completamente ignorado e não fui ressarcido do meu prejuízo. Julia Souza, via WhatsApp.

Boca no Trombone - O ponto final de van, nas esquinas da Rua do Romancista com a Rua Magno Martins, está causando uma bagunça no local. As vans estacionam em cima da calçada, os motoristas agem com falta de respeito e falam palavrões alto. Além disso, os veículos atrapalham a visibilidade. Estamos desesperados. Bruna Carvalho, na redação.

Boca no Trombone - É comum ver pessoas, muito debilitadas, deitadas embaixo da passarela da Portuguesa, durante os dias de semana. São pessoas que estão sem tomar banho, pedem esmolas e comida. Embora estejam visivelmente doentes não aceitam ajuda para serem transferidas para o abrigo público onde poderiam ter a garantia de alimentação e coisas básicas para viver. Como fazer? Talvez alguma instituição de caridade as possa ajudar. Josefa Donewisk, via WhatsApp.

Boca no Trombone - Tumulto escolar Veículos causam tumulto próximo ao Colégio Iglesias. Carros chegam da Rua Babaçu e se encontram com os carros da Rua Abélia nos horários escolares. Peço bom senso dos responsáveis para deixarem seus filhos sem atrapalhar o trajeto dos carros que necessitam transitar pelo local. Andrea Libonati, via WhatsApp.

Boca no Trombone - Precisamos de candidatos que realmente façam algo pela Ilha do Governador. Todas eleições prometem e nada muda. Como pode uma ilha não ter o transporte marítimo como seu principal modal de transporte? Não temos barcas nos finais de semanas e, durante semana, apenas seis horários. Geraldo Campos, via WhatsApp.

Boca no Trombone - Uma praça, na Estrada de Tubiacanga, virou depósito de material de construção. Inclusive, já estão levantando um muro. Estou indignada! Silvia Fonseca, via Facebook.


Edição 1907
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras