Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Boca no Trombone

10/11/2017 - boca-no-trombone /Edição 1858
Lixo no Galeão
Desrespeito é o que está acontecendo na Rua 27, no Galeão, transformando a rua em um verdadeiro lixão e as autoridades da aeronáutica não tomam providência para resolver isso. Lucio Bernardo, via WhatsApp.

Vans & Idosos
As vans das linhas do Zumbi e Ribeira nunca tem vaga para os idosos. Um descaso total. Parece que eles não pensam que um dia também serão idosos? Lúcia Maria, via WhatsApp.

Poste vai cair
Um poste na Rua Agenor Almeida Loyola, entre a Rua Tremembé e a Praça dos Bancários está em péssimas condições. Está inclinado e com a base completamente deteriorada. Uma tragédia anunciada. Larissa Gomes, via WhatsApp.

Vans insensíveis
Infelizmente não são só os idosos que sofrem por causa de alguns motoristas e cobradores de vans. Minha filha tem necessidades especiais e já fiquei diversas vezes esperando por muito tempo no ponto porque eles se recusam levar mesmo eu tenho cartão especial de gratuidade. Narelle Lima, via Facebook.

Assalto com faca
A Ilha está muito perigosa. Na quinta (2), na parte da manhã, dois homens de moto assaltaram uma moça no Cocotá próximo a Escolao Abeilard Feijó, no Cocotá. A moça tomou uma facada na perna e foi socorrida pelos bombeiros. Cadê a polícia? Paulo Cesar Pessoa, via Facebook.

Assalto na Arriba
Fui assaltada na Rua Arriba, próximo do cruzamento com a Ipiru, no Jardim Guanabara. Estamos precisando de mais policiamento na Ilha. Os assaltos na região estão se tornando cada vez mais frequentes. Cadê a segurança? Larissa Amâncio, via WhatsApp.

Praça é lixeira?
As praças que ficam nas ruas Macari e Dom Antônio de Macedo, no Jardim Guanabara, estão servindo de lixeira para alguns moradores da proximidade. É um absurdo que os próprios moradores estejam despejando galhos de árvores que foram podadas, entulhos de obra e outros restos de lixo. Precisamos da ajuda da Comlurb e dos próprios moradores. Elizabeth Almeida, via Facebook.

Bueiro aberto
Na Praia da Bica, próximo ao Restaurante Rei do Bacalhau, existe um bueiro com a tampa quebrada e solta. Moradores colocaram mato para sinalizar. É um perigo para quem passa pelo local. Quando passei não vi e por pouco quase me machuquei. Será que precisam esperar alguém se ferir, para uma medida ser tomada? Lucas Fernandes, via Facebook.

Carros na calçada 
A calçada da Estrada do Galeão, próximo a delegacia, está sempre cheia de veículos que não deixam espaço para os pedestres transitarem. Na segunda (6), eu ajudei uma mãe a passar com carrinho de bebê pela rua, fazendo sinal para os carros, porque estava impossível andar pela calçada. Cadê o respeito? Carolina Campos, via WhatsApp.

Perigo no Aterro
Sempre que vou passear com meus filhos pela orla da Praia do Barão, próximo ao Aterro do Cocotá, me deparo com o abandono e descaso do lugar. São muitos usuários de drogas que circulam por toda a rua e vários pontos estão sem a iluminação adequada, o que acaba favorecendo os roubos. Luana Silveira, via Facebook.

Caos na Hilarião
É muito difícil transitar de carro na Rua Professor Hilarião da Rocha, no Tauá, no horário de entrada e saída do Colégio Notre Dame. Os pais param seus carros de qualquer forma em frente à escola dificultando o trânsito, e não levam em conta que a rua é de mão dupla. Lara Cardozo, via Facebook.

Praia da Engenhoca 
Nos sábados, dia de feira na Rua Fernandes da Fonseca, na Ribeira, estão multando os veículos que entram pela contra mão na Praia da Engenhoca, sendo que esta é a única forma de se chegar em casa nesse dia, para quem mora na Rua Novo Airão e na própria Praia da Engenhoca. Carlos Aguiar, via email.

Praia dos Bancários
A orla da Praia dos Bancários, onde tem uns trailers, está precisando de limpeza. Algumas pessoas continuam despejando lixo, deixando o local péssimo para quem frequenta o lugar em busca de lazer. Será que a Comlurb poderia nos ajudar? Pablo Duarte, via WhatsApp.

Falta sinal 
O cruzamento da Rua Tenente Cleto Campelo com a Morávia, no Cocotá é muito perigoso. É uma rua que tem um fluxo de carros intenso e diversos pedestres atravessam no local a todo momento. Um sinal de trânsito precisa ser instalado urgente perto do clube do Cocotá. Isabelle Gomes, via WhatsApp.

Esgoto
Perto da Escola Municipal Abeilard Feijó, no Cocotá, existe um esgoto entupido há dias, transbordando água suja e com mau cheiro. Precisamos da ajuda da Cedae! Gilca Teresinha, via Facebook.

Resposta da Cedae: A empresa informou que enviará uma equipe ao local para resolver o problema.

Manutenção, já!
Diversos equipamentos de exercícios físicos que ficam no Corredor Esportivo estão quebrados. Os mesmos precisam urgente de manutenção já que muitos idosos usam para se exercitarem. Otávio Cruz, via Facebook.




Veja Também

Boca no Trombone -

Boca no Trombone - Dois carros suspeitos ficaram rondando por horas a Rua Ipiru e a Estrada da Bica, no Jardim Gunabara, na madrugada de terça (15). Um carro da marca CRV prata e um da cor vinho. Atenção à segurança pública da Ilha. Esta área está muito perigosa. Tiago Nog, via Facebook

Boca no Trombone -

Boca no Trombone - Há meses um buraco de grande profundidade no meio da Rua Monsenhor Magaldi, próximo ao número 415 no Jardim Guanabara, é um perigo para quem passa pelo local, principalmente motoristas. Solicito que fechem esse buraco antes que alguém se machuque. Isabella Holanda, via Facebook.

Boca no Trombone - O mato da pracinha que fica atrás do Ilha Plaza Shopping está alto e com pouca iluminação, tornando o lugar propício a assaltos. No domingo (22), precisei passar próximo à praça por volta das 19h e homem me seguiu. Para a minha sorte a moradora de um prédio perto me abrigou. Cuidado! Vanessa Rocha, via WhatsApp.

Boca no Trombone - A Vivo é zero A operadora de telefonia Vivo coloca seus clientes em planos sem que os mesmos deem permissão e a cobrar. Me colocaram na caixa postal sem minha autorização e as pessoas que queriam falar comigo diretamente não conseguiam, além de cobrarem pelo tal serviço. E o pior, eu que tenho que pedir para tirar. Acho um absurdo. Na minha opinião todas as operadoras teriam que, a cada ligação, informar o tempo e o valor que foi gasto, para que o cliente confiasse na mesma. Maurício Moreira, via e-mail.


Edição 1886
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras