Assinatura Virtual

Cadastra-se e receba toda semana em seu e-mail o Ilha Notícias On-line.

Newsletter

Nome:

 

Email:

 


 

Nome:

 

Email:

 


Siga-nos

facebook
twitter
instagram
google+
youtube
blogger

Boca no Trombone

28/07/2017 - boca-no-trombone /Edição 1843
Cocô na praça
A Praça Jerusalém, na Praia da Bica, está cheia de fezes de cachorro. Muitas pessoas passeiam com seus cães e não recolhem as fezes. Quando não é na praça, é na porta de nossas garagens, e se a gente olha, a madame reage. O cão não morde, mas os seus donos sim, são perigosos. Maria Amélia, via Facebook.

Absurdo
A Avenida 20 de Janeiro, no Galeão, está um caos. Sou usuário do Uber mas não acho certo os motoristas tomando conta da entrada do aeroporto e atrapalhando o acesso no local. A prefeitura e o aeroporto poderiam criar uma área tanto para o Uber, quanto para as vans. Claudia Cândido, via Facebook. 

Moradores de rua
Na esquina das ruas Professor Hilarião da Rocha com Capanema, no Tauá, vários moradores de rua estão dormindo em frente das lojas, causando um desconforto aos que frequentam o local. Regina Dantas, via Facebook.

Cadê a GM?
Nos dias de jogos do Flamengo, vários carros estão estacionando na porta dos moradores da Rua Fernando de Azevedo, no Village. Já ligamos várias vezes para o número 1746 e não tivemos nenhuma resposta. Rodrigo Souza, via Facebook. 

Rua Uçá
Na Rua Uçá, próximo à Praça do Grego, Jardim Guanabara, uma palmeira centenária está morrendo após funcionários de um empreendimento próximo fazerem obra na calçada em que ela se localiza. Roberto Campos, via WhatsApp. 

Sinal do cemitério
Gostaria de relatar a falta de respeito com os pedestres no sinal próximo ao cemitério do Cacuia. Mesmo com o sinal fechado, os motoristas muitas vezes avançam em alta velocidade, principalmente à noite, colocando em risco a vida de quem atravessa no local. Tati Pereira, via Facebook. 

Tratando mal
A Paranapuan é toda errada. Ela não cumpre nada de regulamentos, é uma prestadora de serviço ao público de péssima qualidade em tudo. Se a Paranapuan tentar prestar seu serviço em qualquer outro lugar, ela jamais conseguiria. Nilda Ottoni, via Facebook. 
Visconde Delamare
A situação da Rua Visconde Delamare, no Cacuia, continua caótica. Motoristas insistem em estacionar seus carros em cima das calçadas Os pedestres são obrigados a transitar pelo meio da rua, correndo o risco de serem atropelados por outros carros que passam pelo local. Olívia Dantas, via Facebook. 

Irregularidades
A Estrada do Galeão, além de ter vários prédios pichados em quase toda a sua extensão, agora está repleta de mendigos e pedintes. Quem vai agir contra isso? Aparecida dos Santos, via redação.

Sem segurança
Faço caminhadas no Corredor Esportivo, no Moneró, e sempre reparo que não tem sequer uma patrulha nem um Guarda Municipal no local. Ou seja, se passar um arrastão, leva até os equipamentos do parque. Vinícius Jardim, via Facebook. 
Pio Dutra
Diversos motoristas trafegam diariamente na contramão da Rua Pio Dutra, na Freguesia. Sandro Cardozo, via Facebook 

Perigo nos postes
Muitos postes da Ilha estão com fios soltos e até mesmo jogados no chão. Percebo que as empresas responsáveis não estão finalizando corretamente o serviço, trazendo perigo aos pedestres que passam por esses locais. Daniel Costa, via Facebook.
Praia da Bica
À noite durante os finais de semana, a Praia da Bica vira um caos. Carros passando em alta velocidade, estacionando de qualquer jeito e vários quiosques com música alta até tarde. Larissa Carvalho, na redação. 

Praia da Ribeira
A Praia da Ribeira está cheia de lixo, esgoto sendo despejado na água e mau cheiro. Os pescadores que frequentam o local, precisam se arriscar no meio do lixo para entrar na água. Lourival de Jesus, na redação.

Medo do Moneró
Moro no Moneró e não vejo nenhum policiamento tanto de dia quanto de noite. O bairro está abandonado e os moradores evitam até de sair de suas casas. Talita Fonseca, via Facebook.

Faltam barcas
É um absurdo a falta de barcas na Ilha. Muitos moradores precisam desse transporte para se deslocar para o trabalho e até mesmo faculdade e acabam ficando a disposição do péssimo serviço prestado pelas empresas de ônibus. Fábio Reis, na redação.





Edição 1863
Leia


Edições anteriores





Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras

Vista aérea da Vila Olímpica da Ilha na fase final das obras